Resenha: Vitamin - Keiko Suenobu (Mangá)

Sawako, uma estudante de 15 anos, levava uma vida escolar como muitas outras, sem maiores problemas. Até que certo dia, ela é flagrada com o namorado numa sala de aula por um colega de classe, e isso transformará a vida dela no verdadeiro inferno que é sofrer bullying! As amigas de ontem, são as vilãs de hoje... Qual é a "vitamina" necessária para ela suportar a dor e desespero de ser maltratada pelos próprios colegas de escola?
Ano: 2015 / Páginas: 208
Nota: 5/5
Skoob
Idioma: português 
Editora: JBC

Vitamin, volume único da autora Keiko Suenobu. O mangá me surpreendeu positivamente, confesso que não esperava muito da leitura, mas acabei lendo em pouquíssimo tempo, pois precisava saber o que iria acontecer. 

Conhecemos a história de Sawako, uma estudante normal do ensino médio que tem sua vida virada de cabeça para baixo quando é flagrada transando com seu namorado em uma das salas de aula. Porém, o que deu para entender é que ela não queria fazer isso, e o namorado acabou obrigando-a (isso acontece duas vezes). Depois disso a vida dela vira um verdadeiro inferno, os alunos começam as brincadeiras de mau gosto mais pesadas que você possa imaginar, porém, essas brincadeiras começam de fato porque o namorado dela acaba negando envolvimento no fato, então ela é taxada de vagabunda para baixo. As cenas de bullying são carregadas de negatividade, você se sente na pele de Sawako, você vive esses momentos e humilhações que ela passa, você se emociona e se revolta com ela. 

Apesar de tentar se reerguer, Sawako acaba entrando em depressão e não quer mais ir ao colégio. O que resulta em um outro problema, dessa vez relacionado a sua mãe. A relação entre mãe e filha que é exposta no mangá é muito real e te faz refletir diversas situações do cotidiano, na verdade, o mangá inteiro tem essa pegada de te fazer pensar e repensar seus atos. As vezes falamos coisas pequenas que acabam machucando muito as pessoas, sejam nossos filhos, pais, irmãos... 

Sawako acaba assumindo a culpa de tudo, se fechando e jogando toda a culpa em cima dela mesma, e isso me deixou super angustiada. Queria pegar ela pelo ombro e sacudir dizendo: "Acorda menina, a culpa nunca foi tua". 

Acontecem diversas coisas que nos levam a um final que me deixou surpresa, tem uma mensagem muito bonita, e vai ao oposto do que normalmente as historias com bullying tão pesado levam, e eu achei isso fabuloso, a mensagem colocada é maravilhosa. Nós acabamos pensando qual é a nossa vitamina, o que nos faz sair do fundo do poço, o que nos ajuda a nos reerguer. 

Apenas uma ressalva, por se tratar de um mangá +18, acredito que ele acaba não cumprindo seu proposito, pois os que mais precisariam ler e aprender com ele seriam realmente as crianças e os adolescentes. Em suma, é uma ótima leitura.

Resenha: Andes – Um Caminho para as Estrelas - M. C. Jachnkee

Até onde você iria para buscar as respostas do coração?
Movida pela vontade de encontrar o enredo perfeito para seu novo livro, Rafaela desembarca em Cusco, no Peru. Mal sabe ela tudo o que o destino lhe reserva. Com a ajuda de velhos amigos, ela percorre um dos cenários mais fascinantes da Terra em busca de pistas para desvendar um mistério que poucos conhecem: a construção de uma enorme ave condor feita pelos Incas, que os levaria de volta às estrelas. Será apenas uma lenda ou uma realidade esquecida na mente do povo andino?
Em meio à beleza do lugar, poderá o amor, nascido na aventura amazônica, seguir crescendo no coração de Rafaela?
Amizade, romance e aventura farão parte da rotina desse grupo de amigos, enquanto estiverem percorrendo os territórios da antiga cultura Inca. Uma história jamais escrita sobre os Andes!

Primeiramente queria agradecer a Marli por ter me dado o prazer de ler seu segundo livro. E para quem quiser ler a resenha do primeiro livro da Marli, é só clicar aqui.

Em Andes: Um caminho para as Estrelas, Rafaela (protagonista de Amazônia) viaja para Cusco no Peru, em busca da realização de um sonho: Escrever seu livro, conhecer novas culturas, novos lugares. O que trará novas inspirações também. 

Para mim foi maravilhoso poder ler este livro e reencontrar a Rafaela e seus amigos, que conheci em meados de 2012 e me trouxeram tantas alegrias. Na época eu morava no Pará (atualmente moro em Goiás) e reencontra-los me deu aquela sensação de Estou em casa. É engraçado como um livro pode te fazer recordar tantas coisas e tantos momentos, mas enfim... 

O que me deixou muito feliz durante a leitura foi o fato da narrativa da Marli ter engrandecido, eu já amava o primeiro livro, e o segundo veio tão mais maduro, mais profissional. Fiquei muito feliz de ter participado desses dois marcos na vida de uma autora tão querida. Nós percebemos claramente o quanto sua escrita está mais instigante, mais envolvente. 

Voltando a história, o nome "Um caminho para as Estrelas" me fez suspirar quando ele realmente passou a fazer sentido na minha cabeça. Rafaela e os amigos acabam descobrindo uma história sobre um Condor, que é um pássaro criado pelos Incas, e este pássaro promete leva-los para as estrelas, então começa uma busca para encontrá-lo. Essa busca é regada de grandes aventuras. 

A narrativa é tão rica em detalhes que acabamos conhecendo diversos costumes, lugares e pessoas. Sim, você se sente totalmente imerso a história. E além de reencontrarmos a Rafaela, também reencontramos o Daniel, a Ana, a Joana e a Camila. E sério, para quem leu Amazônia é fabuloso poder reencontrar esses personagens. E percebermos que a amizade entre eles continua tão linda quanto antes, e claro, o romance entre Rafaela e Daniel não morreu (Viva, eu esperava muito uma continuação dessa história de amor). 

É um livro aconchegante, você lê e se sente em casa. Indico a todos que assim como eu adoram uma aventura sem sair do sofá de casa.

Resenha: Confissões do Crematório - Caitlin Doughty


Ainda jovem, Caitlin conseguiu emprego em um crematório na Califórnia e aprendeu muito mais do que imaginava barbeando cadáveres e preparando corpos para a incineração. A exposição constante à morte mudou completamente sua forma de encarar a vida e a levou a escrever um livro diferente de tudo o que você já leu sobre o assunto.
Confissões do Crematório reúne histórias reais do dia-a-dia de uma casa funerária, inúmeras curiosidades e fatos filosóficos, históricos e mitológicos. Tudo, é claro, com uma boa dose de humor. Enquanto varre as cinzas das máquinas de incineração ou explica com o que um crânio em chamas se parece, ela desmistifica a morte para si e para seus leitores.
O livro de Caitlin – criadora da websérie Ask a Mortician – levanta a cortina preta que nos separa dos bastidores dos funerais e nos faz refletir sobre a vida e a morte de maneira inteligente, honesta e despretensiosa – exatamente como deve ser. Como a autora ressalta na nota que abre o livro, “a ignorância não é uma bênção, é apenas uma forma profunda de terror”.

O livro apresenta uma história de não ficção, onde a autora é a nossa protagonista, contando seu dia a dia em uma indústria funerária. Caitlin é uma jovem que conseguiu um emprego em um crematório. De cara já podemos perceber que não é uma leitura que vai agradar a todos, não serão todos os estômagos que iram suportar as passagens detalhadas sobre o cheiro, a aparência, a textura dos cadáveres. Para aqueles que sempre tiveram vontade de saber o que se passa com os corpos ao serem entregues a funerária, eis a resposta. Ela nos conta detalhadamente todo o processo de um corpo até sua cremação. 

"Os olhos dele, abertos para o nada, tinham se tornado vazios como balões murchos. Se os olhos de uma pessoa amada são um lago límpido numa montanha, os de Byron eram uma poça de água parada." 
- Página 17 

Apesar de se tratar de um assunto forte, o livro não é nada pesado. A narrativa é envolvente e fluida, te deixando muito curiosa a respeito das próximas páginas, além de Caitlin nos imergir completamente ao mundo fúnebre, nos apresentando diversos rituais antigos, curiosidades e nos abre os olhos a respeito da indústria da morte, como a própria Cat (Intima depois de ler esse livro) relata. 

A leitura pode incomodar demais para pessoas sensíveis, pois teremos detalhes sobre como acontece a cremação de bebes, por exemplo. Além de explicações detalhadas a respeito de como triturar ossos queimados, embalsamentos, fetos deformados, pessoas em alto nível de decomposição, fedores pútridos de mortos, e acredite, a autora fala com tanta propriedade que eu posso jurar conseguir sentir esses cheiros narrados. 

"Satisfeita por ter feito meu trabalho e levado um homem de cadáver a cinzas, saí do crematório às cinco da tarde, coberta de uma fina camada de pó de gente." 
- Página 39 

O livro traz vários questionamentos também, sobre a morte, sobre os nossos mortos, sobre como estamos deixando hábitos antigos para trás e tratando a morte como algo completamente normal. Não que isso seja ruim, mas o ponto é que muitas pessoas estão entregando seus entes queridos nas mãos das funerárias sem o mínimo de "sentimento envolvido", como por exemplo, os pais que entram no site da funerária e passam a localização do hospital onde o corpo do seu filho se encontra, pagam com cartão de crédito e esperam 7 dias as cinzas chegar pelos correios. Sem saber realmente o que se passa lá dentro. 

"Embora você possa nunca ter ido a um enterro, dois humanos do planeta morrem por segundo. Oito no tempo que você levou para ler essa frase. Agora, estamos em quatorze. Se isso é abstrato demais, considere este número: 2,5 milhões. Os 2,5 milhões de indivíduos que morrem nos Estados Unidos por ano." 
- Página 51 

As páginas amareladas no estilo Darkside facilitam muito a leitura, tornando-a mais agradável. Essa edição é fabulosa (momento clichê, pois todas as edições da Darkside são hahaha), os detalhes contando com imagens anatômicas do corpo humano, a contra capa instigante, a capa maravilhosa, diagramação e espaçamento confortáveis aos olhos. Enfim, tudo contribui para uma leitura inesquecível. 


Ano: 2016 / Páginas: 260
Idioma: português
Nota: 5\5 Favorito

Editora: DarkSide® Books

Leituras do Fim de Semana #1

Olá gente, tudo bom? Todo fim de semana pensei em trazer um pouco do que vocês estão lendo para cá. Além de ser uma boa forma de ter mais de uma dica para vocês se aventurarem em livros novos.
Vamos começar!


Essa leitura é da Andressa. Que a proposito tem um instagram maravilhoso: @between_lines_ E ela falou o seguinte a respeito da leitura: "Se o primeiro já era bom, o segundo é ainda melhor. Muita coisa acontece, a Sarah sabe deixar os leitores confusos haha" E ainda pediu para avisar a todos que estão acompanhando a trilogia que o terceiro livro sai dia 2 de Maio nos EUA. Obrigada pela participação, Andressa.

                                                                                                                                                                                                                                                                Essa é a leitura atual da Rute, instagram: @rutegarcia1. Ela não falou muita coisa pra gente, pois acabou de começar o livro. Mas disse que pagou 5 reais nele. (E isso é bom demais né? hahaha) Espero que o livro seja tão bom quanto o preço. Obrigada pela participação, Rute.

                                                                                                                                                                                        Agora vamos acompanhar a leitura atual da minha amiga Fran, instagram: @TheSerialReader. Fran está relendo Hush Hush, pois foi uma leitura que marcou muito a sua adolescencia, e lê-la novamente traz lembranças maravilhosas. Além de amar o Patch hahaha

                                                                                                                        E para finalizar, a minha leitura atual... As Bruxas de Kenwood. Gente, peguei esse romance de banca no sebo e não imaginava que seria tão legal. A unica coisa que está me impedindo de lê-lo super rápido são as letras minusculas que dificultam demais. Mas enfim, estou pensando em trazer resenha dos romances de banca também.






E quem quiser participar pode me enviar uma foto do livro que está lendo no meu email: keziahraiol@hotmail.com.
No instagram do blog: @paixaoliterariablog
Ou no meu instagram: @keziahraiol
Super fácil de me achar. hahaha

Manual do Escoteiro Mirim

Hello people, tudo bom?
Este post é rapidinho, apenas para comentarmos um pouco sobre as duas edições desse clássico: Manual do Escoteiro Mirim.


O Manual do Escoteiro-Mirim, versão brasileira do Manuale delle Giovani Marmotte, é um livro infantil lançado originalmente pela Editora Abril em 13 de julho de 1971.
Livremente inspirado no fictício Manual do Escoteiro-Mirim usado por Huguinho, Zezinho e Luisinho nos quadrinhos Disney, o Manual reúne informações de interesse da criança sobre uma ampla gama de assuntos. Alguns exemplos: dicas de fotografia, cuidados com animais de estimação, acampamentos, leitura de mapas, trabalhos manuais, identificação de estrelas, filatelia, piratas famosos, moedas históricas.
O sucesso do Manual do Escoteiro-Mirim deu origem a duas reedições (1971 e 1978) e à série brasileira de manuais Disney, começando pelo Manual do Tio Patinhas (1972). Teve uma seqüência também baseada no original italiano, o 2º Manual do Escoteiro-Mirim (1976).
A edição de 1978 foi a primeira da série clássica dos manuais Disney publicada em brochura.
A maior parte do conteúdo do Manual do Escoteiro-Mirim foi aproveitada no Supermanual do Escoteiro-Mirim na Biblioteca do Escoteiro-Mirim e na coleção Manuais Disney (Nova Cultural).

Como eu havia dito anteriormente, meu pai tem a edição de 1971, está bem velha e acabada. Mas acabei pegando ela para tirar algumas fotos comparando os dois exemplares. Minha maior dúvida era se realmente a edição de 2016 era fiel a mãezona de 71.

Resenha: Queria ver você feliz - Adriana Falcão


HÁ QUEM O CHAME de Eros, Kama, Philea ou Ahava. O Amor, esse personagem mítico, desempenha o papel de narrador na história real do casal Caio e Maria Augusta, pais da autora Adriana Falcão. O Amor se descreve como perfeccionista e obcecado pelos detalhes, nada que o impeça de ser um bocado descuidado com as consequências dos sentimentos que provoca com suas flechas.

Assim, com uma linguagem poética e ao mesmo tempo muito bem-humorada, Adriana revela para seus leitores aquilo que poderia ser descrito como uma história trágica protagonizada por dois personagens atormentados por seus demônios. Apaixonados, Caio e Maria Augusta se casam no Rio de Janeiro da década de 1950 e têm três filhas. Todo o sentimento que eles compartilham não impede que a personalidade exuberante de Maria Augusta se torne mais obsessiva e asfixiante com o passar do tempo, apesar dos medicamentos e dos tratamentos psiquiátricos. Caio, por sua vez, aprofunda uma melancolia que existia nele desde a adolescência, e que culmina nos anos 1970 em tentativas de suicídio.

Mais do que uma história com um final dramático, trata-se de memórias afetivas que alternam momentos de intensa felicidade e outros tantos de dor, como acontece nas melhores famílias.

Book Haul #1

Oi gente, tudo bom?
Esse é o primeiro book haul da nova fase do blog. Antigamente eu intitulava como: Caixinha de correio (então vocês podem pesquisar sobre isso e ver as coisas que eu recebia antes hahaha). Mas vamos a partir de hoje chamar de book haul. Todos os livros que vou mostrar hoje eu ganhei/ comprei/ troquei e etc, nos últimos dois meses. Vamos tentar postar mensalmente, mas como a pessoa que vos fala tem grandes problemas financeiros pode ser que não aconteça hahaha.

Resenha: Menina Má - William March



Rhoda, a pequena malvada do título, é uma linda garotinha de 8 anos de idade. Mas quem vê a carinha de anjo, não suspeita do que ela é capaz. Seria ela a responsável pela morte de um coleguinha da escola? A indiferença da menina faz com que sua mãe, Christine, comece a investigar sobre crimes e psicopatas. Aos poucos, Christine consegue desvendar segredos terríveis sobre sua filha, e sobre o seu próprio passado também.
MENINA MÁ é um romance que influenciou não só a literatura como o cinema e a cultura pop. A crueldade escondida na inocência da pequena Rhoda Penmark serviria de inspiração para personagens clássicos do terror, como Damien, Chucky, Annabelle, Samara, de O Chamado, e o serial killer Dexter.


Em menina má conhecemos a história de Rhoda, uma garotinha de apenas oito anos aparentemente indefesa, fofa, amorosa, inteligente – insira aqui todos os adjetivos bons que uma criança pode ter – Mas, vamos descobrindo com o decorrer da leitura que esta tão inocente criaturinha é capaz de fazer barbaridades. Logo no começo do livro você avalia o comportamento de Rhoda, algumas das suas atitudes não são “normais” para uma criança.

A maior interrogação que paira na nossa cabeça seria o fato do mal estar instalado na gente desde o nosso nascimento, caso contrario como uma criança o adquiria? Sendo que o ambiente que cerca a menina é tranquilo, amoroso, e ela tem o carinho completo da sua mãe. Que também é uma personagem muito explorada pelo autor. O mal seria genético? Adquirido? Plantado? What? 

O livro foi publicado originalmente em 1954, portanto a narrativa tem aquela pegada de antigamente, onde os atos eram aparentemente mais inocentes do que atualmente. E o autor frisa muito em chocar o leitor a respeito dos atos de Rhoda, sobre o que ela é capaz de fazer, sobre como a mãe dela consegue lidar com todos os acontecimentos. O final deste livro é maravilhoso, devastador, angustiante, perfeito. Não conseguiria imaginar algo tão grandioso. 

William é um autor que consegue prender o leitor, consegue te fazer embarcar na história de uma forma que você acredita fielmente que tudo aquilo está acontecendo na rua da sua casa. O psicológico é muito abordado, o que eu achei fantástico. Se você gosta desse tipo de livro que foge um pouco da vibe de terror sobrenatural e vem para um terror psicológico, eu indico demais esse livro. 

E vamos falar um pouco da edição, está fabulosa. A diagramação, o espaçamento, as páginas... Tudo se completam para que a leitura seja a mais “agradável” possível. Entre aspas, pois duvido muito que você consiga considerar a leitura deste livro em questão como sendo algo agradável. A capa é linda, remete muito a inocência, coisas fofas, bonecas... Não deixe-se enganar, minha mãe viu o livro e achou lindo (tirou foto com ele e tudo), quando eu disse do que se tratava a história ela apenas ficou horrorizada hahaha’. 

Apenas um livro arrebatador. Leia!


Ano: 2016 / Páginas: 272

Idioma: português 
Nota: 5/5 - Favorito
Editora: DarkSide® Books

Citações de Quinta #15

Aquelas citações que nem sempre saem todas as quintas hahaha. Essa semana eu estou super musical. Então, vamos fazer algo diferente? Vou colocar trechos de músicas que eu amo... Para ouvir a música é só clicar no nome.


"Entre palavras não ditas, tantas palavras de amor."

"Through the storm we reach the shore / Pela tempestade nós chegamos ao litoral"

"Take me to the magic of the moment on a glory night / Leve-me à magia do momento em uma noite de glória"

"Shed a tear 'cause I'm missing you / Derramei uma lágrima porque estou sentindo sua falta"

"I won't give up on us, even if the skies get rough / Não desistirei de nós, mesmo que os céus fiquem violentos."

"Somewhere over the rainbow blue birds fly / Em algum lugar além do arco-íris pássaros azuis voam"

"Não é sobre chegar no topo do mundo e saber que venceu. É sobre escalar e sentir que o caminho te fortaleceu."


Terminei com Trem Bala pois é uma música que me enche de esperanças, não só na vida - pela letra maravilhosa. Mas em acreditar que nos dias de hoje onde somos bombardeados por sons como: pega a metralhadora, meu pau te ama e etc... Ainda existem pessoas como a Ana que escrevem músicas como essa. 💗


Músicas + Livros


Oie pessoa, tudo bom? Não sei vocês, mas as vezes gosto de criar uma ambientação para ficar mais a vontade e ler com aquela música ambiente no fundo. E hoje eu separei algumas das músicas que eu mais uso quando quero ler, claro que depende do gênero do livro.

  • Para livros de fantasia, com aquele ambiente meio de bosques encantados e etc:




  • Livros de terror, eis meu gênero favorito. E eu AMO criar aquele clima de medo com música quando estou lendo, a que eu mais uso é:





  • Quando o livro é repleto de batalhas, guerra, sangue. Eu gosto de usar o:





  • Para livros infanto-juvenis eu gosto de usar esse tipo de músicas mais voltado a aventuras, normalmente os infantos tem essa pegada.





  • E para finalizar em livros românticos: 




Se vocês forem como eu e gostarem de criar esse clima, todos os tipos de músicas instrumentais você pode encontrar no youtube, eu costumo procurar por "1 hour... Romantic music, adventure, terror, etc." me contem nos comentários se vocês tem esse TOC por músicas e livros também hahaha'
Fonte: http://princesa-descolada-myla.blogspot.com/2013/03/paginacao-numerada.html#ixzz2j39CpByO