Resenha: A Seleção - Kiera Cass

Olá lindos, tudo bom? Hoje trago pra vocês uma ótima resenha feita pela nova colunista, a querida Maria Avila, vamos conferir? 


Livro: A Seleção 
Páginas: 368 
Autora: Kiera Cass 
Ano de Lançamento: 2012 
Editora: Seguinte 
Pontuação: 4/5

Para trinta e cinco garotas, a “Seleção” é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China, e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças entre dezesseis e vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha.
Para America Singer, no entanto, uma artista da casta Cinco, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás Aspen, o rapaz que realmente ama e que está uma casta abaixo dela. Significa abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes.
Então America conhece pessoalmente o príncipe. Bondoso, educado, engraçado e muito, muito charmoso, Maxon não é nada do que se poderia esperar. Eles formam uma aliança, e, aos poucos, America começa a refletir sobre tudo o que tinha planejado para si mesma — e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que ela nunca tinha ousado imaginar.

Esse foi daquele tipo de livro que eu comecei a ler sem expectativa. Estava fazendo pesquisas em um site de downloads quando o vi. Decidi que não faria mal algum lê-lo. Foi também um dos primeiros livros que eu li sem ler uma resenha ou receber o conselho de alguém. E eu fiquei surpreendida!

A leitura é rápida e fluida, você consegue acompanhar as nuances com uma facilidade incrível, e aos poucos eu me vi sendo tragada para dentro da história.

America, a narradora, é uma garota que está conformada com a sua vida, ou pelo menos boa parte dela, e eu fiquei satisfeita ao ver que a autora construiu uma personagem com personalidade forte. Logo nos primeiros capítulos nós podemos ver claramente qual a situação de Illéa, antigo EUA, e de seus habitantes. A protagonista, que trabalha com os pais para entreter o público de castas mais elevadas, é bastante perspicaz e esperta. E eu fiquei surpresa ao constatar que ela já iniciou o livro tendo um romance! O que não é muito comum nos livros do gênero.

Aconselhada pela mãe e pasmem! - pelo namorado, America se inscreve na Seleção, porém tem poucas esperanças de ser a escolhida de seu distrito, isso é por causa de um dos clichês mais utilizados: A visão distorcida que ela tem de si mesma. E como era de se esperar, ela é escolhida; e motivada por seus pais e por sua vontade de se afastar de Aspen, seu então ex-namorado, ela embarca na jornada. Em pouco tempo, ela está na Corte, vivendo lado a lado com as outras 34 candidatas e com a família real. Eis que surge Maxon!

Ah, Maxon, o que eu posso falar sobre ele que não entregue a minha já obvia preferência? Ele é fofo, cativante, inteligente e um mocinho muito romântico. Acima de tudo, ele quer defender o seu país dos revoltosos – grupos de nativos que são contra a política instaurada.

Logo a America deixa óbvias suas intenções ao participar da Seleção, trata-se apenas de aproveitar o tempo ali e garantir sustento para sua família, ela rapidamente se torna amiga de Maxon e é aí que as coisas ficam agitadas.

Os diálogos entre eles são sagazes e divertidos, aos poucos, America vai abrindo os olhos do príncipe para o que realmente acontece no mundo lá fora. Mas não são apenas os personagens principais que nos cativam; A autora soube definir muito bem os secundários, dando-lhes a devida atenção e concretizando suas personalidades. Eu consegui sentir afeto a determinadas pessoas, e desgostar – e muito – de outras.

A Seleção é um livro que poderia muito bem apenas ser definido como mais um dos muitos livros que seguiram o caminho de Jogos Vorazes, porém não é bem assim. No começo, é quase impossível não fazer comparações entre os dois livros: a narração em primeira pessoa, a sociedade dividida em classes e uma forma do governo de controlar as pessoas. Mas então, outros elementos surgem e logo podemos deixar as comparações de lado, ao contrário de Jogos Vorazes, o embate do livro não é físico, e sim psicológico. As 35 candidatas devem competir entre si para obter a atenção – e quem sabe o coração – do príncipe e de sua família, há vários testes e divergências entre as garotas. Mas também há momentos divertidos que nos geram boas risadas. Nós rapidamente já conseguimos prever quem é aquela garota que será odiada por todas. Por essa diferença, posso afirmar que A Seleção é muito mais romântico que qualquer outro livro do gênero, porém, ao que tudo indica, sua continuação terá um pouco mais de enfoque na política.

Como a chata que sou, eu já tinha uma ideia de como seria o final, e acertei em boa parte. Outro clichê explorado aqui, foi o triângulo amoroso dos personagens principais. O que também dá a entender que ficará mais em evidência nos próximos livros.

A Seleção, primeiro livro da trilogia, conquistou-me de uma forma inimaginável, me apaixonei por Maxon e até consegui gostar da protagonista, coisa que não acontece com frequência quando leio algo. É claro, certos erros puderam ser detectados durante a leitura, nesse caso, imagino que a editora será mais cuidadosa na hora de publicar o próximo livro. E ao mesmo tempo em que fiquei com raiva pelo livro ter acabado, eu fiquei feliz e mais que ansiosa por saber que haveria uma continuação. Porque ele terminou de uma forma que você pega e relê o ultimo parágrafo e pensa: “Como assim???”. Gosto de acreditar que já tenho uma ideia de como a trilogia se encerrará, afinal, qual é a leitora que nunca criou teorias durante a leitura? Mas pelo modo como Kiera Cass me surpreendeu neste livro, já vi que não posso contar muito com minha intuição. Ao menos espero que o final agrade ao público.

Uma novidade para mim foi saber que a CW comprou os direitos dos livros e está gravando o piloto da série, que tem tudo para ser lançado agora em 2013. Para as fãs de séries de tv, já faço questão de recomendar.

Concluindo, posso afirmar que A Seleção é aquele livro que toda amante de um romance com personagens fortes e determinados deve ler. Há momentos de drama, momentos de comédia e os momentos de suspense, em que não fazemos ideia do que pode acontecer. America é o tipo de garota curiosa e que age de uma forma totalmente diferente da esperada pelas pessoas, o que torna tudo mais imprevisível. Durante todo o livro ela sofreu preconceito, sofreu com a saudade dos pais e dos irmãos, sofreu por conta de seu coração – que eu não posso dizer se está “quebrado” ou não, - e também sofreu pelas outras candidatas, mas em momento algum ela esqueceu suas raízes ou faltou de ser generosa com as pessoas.

Super recomendo a leitura, e espero que vocês se apaixonem pelo Maxon tanto quanto eu.

8 comentários:

  1. Este livro é uma delicia sem tamanho, eu amei com todas as minhas forças e achei a história bem inovadora para uma distopia

    Robson Gabriel - http://perdidoempalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi flor!
    Esse é um dos poucos entre os últimos distópicos lançados que fiquei curiosa para ler.
    Como o Robson comentou, achei a proposta inovadora dentro do tema, ainda que em muito remeta a "Jogos Vorazes"!
    Sua resenha foi bem empolgada :)
    Beijão!

    ResponderExcluir
  3. Ahhh,eu queria um marcador desse livrooo, please *_*...e o livro tambem , claro \o/

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pela resenha Maria! Já li A Seleção e curti bastante. A narrativa do livro é ótima, porém não achei o núcleo masculino da história tão bem construído. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  5. Muito boa a resenha,estou morrendo de vontade de ler o livro agora.

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Estou morrendo de vontade de ler esse livro! Meu Deus, preciso comprá-lo, é o único que eu estou desejando desesperadamente nesse momento.
    Parabéns pela ótima resenha!
    Beijos

    Andressa
    umdiaacadalivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Só tenho lido resenhas positivas sobre esse livro.
    Sua maneira de escrever me deixou bastante curiosa, me instigou um pouco mais, só não compro o livro agora pq estou sem grana, mas já está na listinha de compras.
    Adorei sua maneira de contar o que achou da obra, parabéns!
    Beijos
    Viviane
    Razão e Resenhas

    ResponderExcluir
  8. Muito legal essa resenha!
    Parabéns pela nova colunista, Kéziah!
    Esse livro já é mais que desejado e eu ia até comprá-lo mas fiquei em dúvida porque tinha outro livro e esses momentos costumam ser melhores do que triangulos amorosos para nos dá dúvidas, rsrsrsrs
    Mas agora, assim que puder, compro. Céus, preciso desse livro!

    ResponderExcluir

Sua opinião é de extrema importância.
Sinta-se a vontade para deixar sua sugestão, crítica, dúvida, opinião, etc.
Mas lembre-se, seja educado com seus comentários e dispense palavras de baixo calão, pornografias e qualquer outro tipo de preconceito.
Deixe o link do seu blog ou qualquer outro tipo de contato para que eu possa retribuir sua visita.

Obrigada pela visita, volte sempre que puder.
Beijos!

Fonte: http://princesa-descolada-myla.blogspot.com/2013/03/paginacao-numerada.html#ixzz2j39CpByO