Resenha: Eu, meu pai e os meus outros amores - Lilian Reis



  • Editora: Novo Século
  • Autora: Lilian Reis
  • Nota: 5/5

Eu, meu pai e os meus outros amores... Há coisas na vida que acontecem e a pessoa se revolta, fica com raiva de tudo e de todos, contudo, Jade teve que aprender da maneira mais dura, que o mundinho no qual ela vivia era fútil, uma imensa bola cheia de nada. Para Jade, tudo que importava era sua mãe, padrasto e amiga. O pai era um sonho inalcançável, uma figura por quem Jade nutria “sentimentos incompreensíveis”. Ela acreditava que aquela vida de badalações, academia de dança, luais, e festas eram tudo de bom, e para o qual valia a pena viver. O resto era descartável. Entretanto, Jade fora inserida “contra sua vontade”, em outro mundo. Um lugar completamente sem valor para ela. As pessoas pouco lhe interessavam e tampouco ela acreditava que eles se interessassem por ela. Para ela, uma garota da cidade grande, o que importava eram as coisas que ela podia fazer e a maneira como se divertia, e amava apenas essas pessoas que eram seu ”tudo”... Uma história cheia de emoções, conflitos, dúvidas e descobertas, que tem um enredo gostoso, uma linguagem jovem e engraçada. Prepare-se para conhecer o outro lado do mundo de Jade. Uma adolescente quase adulta, que se mostrou rebelde e marrenta. Será que Jade aprenderá com seus erros a ser uma pessoa melhor? O livro aborda vários temas importantes, dentre eles a primeira transa, a amizade, e os sentimentos de um modo geral. Contudo, a abordagem principal é o amor de Jade por seu pai. Um homem do interior, que conviveu com sua filha apenas nos primeiros anos de vida, mas que a marcou muito. Para ela, o pai foi seu herói, aquele que a acudia dos pesadelos e dos seus medos. Todavia, a imagem deixada por ele apagou-se pelo fato de ele não ser um pai presente. A vida de Jade deu outra guinada após uma tragédia, que a obrigou a viver outra realidade...

Amor a primeira página – sim, se existe amor a primeira vista, eu tive um amor a primeira página com esse livro – foi uma espécie de imprinting¹ desde o dia que a Lílian postou uma foto com uma frase desse livro no meu grupo no face, fiquei desesperada para ler.

Consegui que a Novo Século me enviasse para resenha e adivinha? Li em uma sentada, não consegui parar.

Após um terrível acidente, Jade – a protagonista – perde sua amada mãe e seu querido padrasto. E é obrigada a se mudar do Rio, para um interior em Minas Gerais, chamado Estrela do Campo, para morar com o pai, a madrasta e os filhos dela. Em outras palavras, a vida de Jade toma um rumo jamais imaginado.

Como de costume, a protagonista me deixou irritada várias vezes, Jade é uma menina muito mimada e cabeça dura, em vários momentos teve atitudes que eu discordei, como por exemplo, a maneira que ela lidava com todos os recentes acontecimentos, a forma como ela tratava seu pai – visivelmente infeliz por ter se mudado para o interior – até ai entendemos, afinal ela perdeu a mãe, mas depois de um tempo percebemos que ela quase não sofre mais pela perda – pra mim foi rápido demais – e ela passa apenas a odiar tudo que a rodeia. Porém no decorrer da trama, ela amadurece bastante, fazendo com que eu passasse a admirá-la.

Temos também os – lindos – filhos de Isolda, madrasta de Jade. Eduardo mais conhecido como Duke ou Du e Fred, fiquei imensamente encantada e envolvida com esses garotos, se a intenção da Lílian era me deixar apaixonada por personagens fictícios e proibidos, ela conseguiu.

Duke é um garoto encantador, carismático e imensamente lindo, apesar de que em muitos, Jade o comparava com Zac Efron, na minha imaginação ele não era nem um pouco parecido – ok isso não vem ao caso – e Fred em muitos momentos comparado com Ian Somerhalder me levou a loucura, todos estão cansados de saber que tenho uma queda enorme por esse lindo ator. Mas não foi isso que me deixou apaixonada pelos meninos, e sim a personalidade deles – claro que a aparência também – mas a forma como a Lílian traçou seus jeitos foi fascinante. Apesar de Fred, ter os traços do meu amor Ian, logo de cara quem me conquistou com seu jeitinho bobo e maroto foi o Eduardo, talvez pelo seu nome, afinal Eduardo é meu nome masculino favorito, desde sempre.

Voltando ao livro...
Afinal, fico nitidamente empolgada ao falar desses rapazes.

Bernardo é o pai de Jade, durante todo livro percebi o amor incondicional que ele tinha pela filha, tentando de todas as formas possíveis faze-la feliz, e era retribuído da forma mais grotesca possível, Jade o tratava muito mal, pois ela tinha uma grande magoa com relação à separação dos pais.

Vários pontos me fizeram ficar encantada com a trama, e um dos mais positivos foi o fato do livro abordar vários pontos de vistas. Pude saber um pouco mais sobre cada um dos personagens, cada um contava sobre seu ponto de vista determinada parte da história – quando chegou a vez do Duke, quase vomitei arco-íris – foi bem interessante.

O livro é um mix de várias sensações, horas eu ria com as trapalhadas de Jade e Duke, horas eu chorava com as dores de perder um ente querido, em vários momentos pude me colocar no lugar de Jade, e sofrer com ela, admito ter derramado uma ou duas – ou cem? – lágrimas no decorrer do livro. Tudo é muito intenso.

Não temos grandes acontecimentos, como clãs de vampiros, ataques apocalípticos, híbridos querendo controlar a terra, nem nada do gênero. Nesse livro temos uma história suave, diria até angelical, algo mais natural. Uma história que acontece no nosso dia a dia, então não espere que algo de surreal aconteça. Mas sem dúvidas um livro que indico a todos que gostam de fugir da sua rotina, que gostariam de relaxar e aproveitar um bom livro.

Um romance regado por humor, superação e amor incondicional. Aprendi muito com o livro, ele nos trás uma boa questão a ser debatida: “A Família”. Será que estamos dando valor a nossa? Devemos repensar, pois nada é para sempre. Portando seja corajoso, fale o que sente, deixe que seus sentimentos falem por si, ame incondicionalmente e acima de tudo, dê valor a sua família, pois ela é tudo que nós temos. Vamos dar valor ao que temos agora, pois amanhã pode ser tarde demais.

Você vai vivendo e de repente “Puf” – Horacio Slughorn


¹- Imprinting é mais uma das particularidades dos lobisomens na série Crepúsculo. É mais ou menos como um feitiço em que o lobisomem e o objeto da impressão se apaixonam perdidamente um pelo outro. 

18 comentários:

  1. Adoooorei a sua resenha! *u*
    já vi muita gente falando bem desse livro, mas nunca havia parado para ler uma resenha, ou saber mais sobre a temática do livro. Gostei do fato de ser uma história comum, mas que mesmo assim nos marca de alguma forma.

    Beeeeijinhos e uma ótima semana! :*
    www.linguadoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Menina! Tive um imprinting imediato com sua resenha. Caraca! Como diria Jade. Muito bacana, é mesmo uma história suave, para aqueles que gostam de coisas possíveis de acontecer. Capitou a mensagem do livro, e para mim, isso é o que importa. Zilhões de beijos Kéziah. Lilian Reis.

    ResponderExcluir
  3. parece ser um livro muito fofo *-* fiquei afim de ler ele

    ResponderExcluir
  4. Oláaaa! Sério ameeeei sua resenha, está perfeitaaa *.*

    A parte de amor a primeira página ficou demaaaaaaaaaais!

    Esse livro é demais, intenso, lindo e marcante!!!!!

    Super beijo Kéziah, arrasou na resenha!!!!
    http://estoulendoo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Parece ser um livro bem interessante e do meu estilo.
    Quem sabe eu leio (:

    Beijinhos,
    Thais P.
    http://thaypriscilla.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Zita!

    Adorei a resenham estava curiosa para saber mais sobre o livro, de tanto que você falava em como ele era bom! E acho que ele deve ser maravilhoso mesmo, pelo que retratou. Espero poder lê-lo também!

    Beijos,

    Marcelle
    bestherapy.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oie flor!
    Eu estou com ele na estante e estou me segurando para não abandonar o livro que estou lendo para começar o livro da Lilian rsrs
    Adorei o "Imprinting" haha

    O layout do blog é uma graça... bjus

    L&V
    http://anna-gabby.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Kéziah, parabéns pela resenha, fiquei comovida. Realmente o livro parece ter passado uma linda mensagem e a história parece muito boa. Como uma fã de Crepúsculo adorei o Imprinting, também sofro alguns com determinados livros.

    Beijos

    http://poesiasprosasealgomais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Ola, não via a hora de vc postar esta resenha.
    Muito anciosa para ler. realmente a historia
    é lindaaa. Adoreii Kéh
    bjs


    http://loveebookss.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. AAAAAAAAAAAAAAAAaaaaaaaaaaaaa amei demais, não vejo a hora de comprar o meu. :)
    Beijos!
    http://www.vibradosemlivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Não gosto desse tipo de livro, mas para quem aprecia me parece uma excelente pedida. Tenho o marcador, e a capa é lindinha demais.

    Bjinhos

    ResponderExcluir
  12. Keziah, é um livro de autor nacional ne?
    porque eu amei essa resenha, quero colocar esse livro no meu top nacional!
    Tem como me mandar o link pra eu comprar esse livro?

    http://luadesangue1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Adorei a resenha. Gosto de livros que, mesmo com uma história comum, tornam-se incríveis. É ótimo ver os autores nacionais se destacando! :)

    Beijos,
    http://pitadadecultura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Esse livro tem uma capa linda! Gosto de narrativas que falam sobre família, portanto sei que vou gostar!! Gostei demais da sua resenha! Parabéns!

    Abraços,

    Alisson
    contandolivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Sua ressenha foi divina *uuuu*

    Parece de fato uma história relaxante e envolvente e eu concordo com você que as vezes é bom sair daquele ramo sobrenatural e apenas relaxar com um bom e suave livro.
    Sim, a sua empolgação é bem nítida, mas Ian? Quem não ficaria. Mas, mais do que aparência o que faz com que nós nos apaixonamos por certo personagem é sua personalidade incrível e para essa ligação acontecer, com certeza é necessário uma narração bem detalhada e eu AMO isso. Parece que esse livro tem tudo isso!

    Concordo com vc, família é algo muito importante e infelizmente, com tempo de validade, temos que cuidar, aproveitar e amá-las incondicionalmente.

    Parabéns mais uma vez e eu amei a frase: "Você vai vivendo e de repente “Puf” – Horacio Slughorn."

    thesongoftheletters.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Nunca tinha ouvido falar desse livro, acredite.
    Pela sua resenha senti um "q" de Nicholas Sparks nesse livro.
    Parece ser bem realmente.

    Beijinhos ♥
    Helana O'hara
    www.intheskyblog.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Oi!
    Eu estou com esse livro aqui e será uma das minhas próximas leituras.
    Pelo o que li, acredito que gostarei bastante assim como você. Sua resenha só me deixou mais animado e com mais ansiedade para começar logo a leitura.
    Acredito mesmo que seja uma história suave e eu adoro isso. <3
    Parabéns pela resenha!
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
  18. Acho essa capa tão fofa!!!! Adorei sua resenha e a temática sobre a família me conquistaram, quero ler logo esse livro. Já anotei na minha lista de desejo, valeu pela dica.

    Leituras, vida e paixões!!!!

    ResponderExcluir

Sua opinião é de extrema importância.
Sinta-se a vontade para deixar sua sugestão, crítica, dúvida, opinião, etc.
Mas lembre-se, seja educado com seus comentários e dispense palavras de baixo calão, pornografias e qualquer outro tipo de preconceito.
Deixe o link do seu blog ou qualquer outro tipo de contato para que eu possa retribuir sua visita.

Obrigada pela visita, volte sempre que puder.
Beijos!

Fonte: http://princesa-descolada-myla.blogspot.com/2013/03/paginacao-numerada.html#ixzz2j39CpByO