Resenha: O Diário de Litat - Claudemir de Oliveira

  • Autor: Claudemir de Oliveira
  • Editora: Novo Século
  • Nota:  
  • Skoob

Bnus e Qeb cresceram no mesmo vilarejo, brincando entre pedras e ruínas e, quando jovens, prometeram ficar juntos sempre. Suas vidas estavam entrelaçadas pelo sentimento mais puro do ser humano: o amor. No entanto, seus sonhos foram ceifados por divindades que os colocaram em caminhos opostos. Os olhos de Bnus, que antes brilhavam de felicidade, se tornam obscurecidos pelo Mal. Qeb, por sua vez, passa a lutar para manter e propagar o Bem pelos vilarejos. Mas embora tenham que se enfrentar por um propósito divino, o amor que os unia prevalece… Litat é o descendente desta história, e nasce com dons herdados desde o tempo de seus avós. Ele terá o livre arbítrio de usá-los, porém, sua omissão poderá acarretar danos ao seu povo.

O Diário de Litat envolve tantos sentimentos, mas acima de tudo, envolve o amor entre duas pessoas. Bnus e Qeb. O livro é narrado por Litat Dmefinos herdeiro – de dons – da linda história de amor entre os dois, Litat herdou esses dons, pois Bnus e Qeb desobedeceram os deuses da luz e das trevas em nome do amor.

Bom, Bnus e Qeb juraram amor eterno, e prometeram ficar juntos para sempre, mas o destino os pregou uma peça, e os deuses os levaram para caminhos completamente opostos. Qeb seguiria pelo caminho do bem, guiada pelos deuses da luz, e Bnus louco de amor, optou por seguir o caminho da escuridão, guiado por deuses das trevas. O mais bonito de tudo, é que apesar das diferenças – bem e mal. Podemos perceber que o amor prevalece a todo o momento.

Como verdadeira fã de mitologia, deuses e afins, nem preciso dizer que adorei o livro abordar esse tema, apesar de não ter uma visão muito complexa sobre, o autor conseguiu criar um universo mágico e acima de tudo cheio de mensagens a passar para o leitor. Como falei, a maior mensagem que pode-se aprender ao ler o livro, é ver o amor de outros olhos, e perceber o quão forte pode ele ser, se for verdadeiro, e não há barreiras capazes de destruir ou amenizar o verdadeiro amor, sendo ele entre homens e mulheres, pais, filhos, enfim, qualquer forma de amor.

Claudemir conseguiu criar uma história simples, cheia de altos e baixos e que flui de uma maneira louca... A partir do momento que Litat começa a nos contar sobre suas aventuras, sua história, não conseguimos mais desgrudar do livro, a cada página estamos envoltos a um mundo tão mágico, que chega ser quase impossível parar de ler.

Apesar de não parecer o livro tem um alto teor de romance, sim! Pois nos primeiros capítulos focamos muito em uma linda história de amor, essa história que deu origem – por assim dizer, a todo o desenrolar da trama.

O livro também nos leva a conhecer cidades antigas, como Grécia, Egito... Então, fazemos um breve tour por esses lugares, dando asas a nossa imaginação. Não posso também deixar de ressaltar os personagens, que foram construídos divinamente, posso dizer que cada um deles tem seu encanto.

Bom, acho que sou suspeita a falar desse livro, por vários motivos. Além de ser uma grande fã da literatura nacional, adoro livros que abortem temas envolvendo deuses, bem e mal.


Um lindo livro, indicado pros que querem uma leitura um tanto quando poética e cheia de aventuras.


"Resenha": Crianças que se lembram de vidas passadas - Ian Stevenson


Em busca de respostas cientificamente comprováveis sobre a existência da reencarnação, o psiquiatra canadense Ian Stevenson debruçou-se por mais de quarenta anos sobre este complexo assunto. Um dos resultados dessa busca, o livro Crianças que se lembram de vidas passadas chega ao Brasil pela Editora Vida & Consciência, em versão revisada pelo próprio autor. A obra apresenta os casos mais importantes encontrados pelo pesquisador em experiências com crianças e tem como objetivo fornecer novos instrumentos para os estudos sobre reencarnação no Ocidente. A obra reúne informações de mais de 2,5 mil casos de crianças que demonstram recordar de vidas passadas. Através de meticulosas análises, Stevenson encontrou consideráveis semelhanças entre essas histórias – o que permite ao autor a sistematização das mesmas ao ponto de poder descrever as características de um caso completo, as regiões de maior incidência, comportamentos padrão, temas das lembranças e situações em que as mortes e nascimentos ocorreram. Com o intuito de familiarizar os leitores com fatos nos quais os estudos se baseiam, Stevenson incluiu no livro os resumos de 14 histórias: 12 que já constavam na primeira edição do livro e duas acrescentadas para esta versão. A edição também traz mais detalhes sobre os estudos de casos nos quais os indivíduos têm marcas de nascença e problemas congênitos pertinentes, como aconteceu com as gêmeas Gillian e Jennifer Pollock. Quando pequenas, as meninas demonstravam lembrar detalhes sobre a vida de suas irmãs, que faleceram poucos anos antes de seu nascimento e sobre as quais elas não poderiam ter conhecimento pelas vias normais. As gêmeas possuíam marcas congênitas idênticas e na mesma altura das cicatrizes de suas irmãs falecidas. Este livro compõe uma série de estudos realizados por Ian Stevenson sobre reencarnação, lançada pela Editora Vida & Consciência. Já se encontram publicadas as obras Reencarnação – Vinte casos e Casos europeus de reencarnação. Dessa maneira, toda a pesquisa deste renomado psiquiatra pode ser acompanhada e estudada pelos leitores brasileiros. “Apesar da resistência da maioria dos cientistas, a ciência como um todo não tem nada a perder com a descoberta de que a personalidade humana pode sobreviver à morte do corpo físico”, afirma Stevenson.

Resenha: Hathor - Markus Thayer


  • Editora: Novo Século
  • Autor: Marcus Thayer
  • Nota: 
  • Skoob

Inglaterra, 1856
John McBrian é aluno em uma renomada faculdade de Cambridge. Entretanto, sua vida pacata de estudante está prestes a mudar. O que a princípio parecia ser apenas um trabalho de escola coloca o jovem inglês em extremo perigo.
Um mistério intrigante, fenômenos inexplicáveis e mensagens criptografadas levam John a cruzar o oceano, onde seu destino o aguarda.
De inicio o livro me cativou, li as primeiras 100 páginas em pouco tempo, e logo fui envolvida em um universo aparentemente complexo, cheio de mistérios a serem revelados e muito suspense.

Viajamos para Inglaterra, mais precisamente para o ano de 1856. John e Willian são estudantes da renomada faculdade de Cambridge, o que eles não imaginavam era que um simples “documento” encontrado em uma das pesquisas de um trabalho mudaria completamente seu futuro.

Obrigados a escrever um trabalho mega difícil e com um prazo de entrega muito curto, os alunos vão em busca de livros que possam os ajudar nessa tão difícil tarefa, em meio de um livro velho, John encontra o que pareciam ser folhas grudadas, imediatamente ele procura ajuda do tão inteligente professor Oliver, após um trabalho minucioso para tentar descobrir o que havia entre as páginas, eles descobrem uma espécie de mapa do tesouro, juntos eles vão desvendar o mistério.

Os três partem em busca do tesouro, o que eles não imaginavam era que sua expedição tomaria rumos inimagináveis, os levando até Hathor, uma espécie de cidade que fica localizada dentro da crosta terrestre. Isso foi algo surpreendente, pois em Hathor eles possuem tecnologias tão sonhadas por nós, e foi uma grande tirada do autor expor esse tipo de tecnologia, uma mente muito inteligente capaz de criar tamanhos feitos.

Agora um ponto negativo que rendeu uma estrelinha, foram os personagens, não posso dizer que eles foram mal construídos, mas em suma, eles não me agradaram, achei-os muito passionais, faltou um pouquinho de atitude em certos momentos, eles transbordaram bondade, e isso me deixou um pouco intrigada, achei-os um pouco sem graça em determinados momentos, mas de forma alguma isso atrapalhou a leitura ou desmereceu a história que foi muito bem construída.

O romance não é o ponto forte do livro, mas de vez em quando conseguimos nos deparar com situações tão fofas que acabamos nos envolvendo cada vez mais com a trama. Suspense, mistérios, quebra cabeças, descobertas... Se você procura por um livro que tenha essas características então você pode fugir da rotina e se aventurar em Hathor.

Resenha: Tesão - Tico Santa Cruz

  • Editora: Belas Letras
  • Autor: Tico Santa Cruz
  • Nota:  
  • Skoob

Esqueça a ordem poética da sedução neste livro de Tico Santa Cruz, vocalista do Detonautas Roque Clube. Porque os contos e poemas eróticos de Tesão conduzem o leitor a um mundo sem limites, sem preconceitos. A uma atmosfera enigmática que instiga a imaginação e desperta o desejo por uma aventura que entorpece o corpo. Carne, sexo, violência e força – o encontro de dois animais num confronto vital pela continuação da existência. O primitivo, o condenável, o que os outros não têm coragem de levar adiante por medo do pecado e do julgamento divino. Um prazer que assassinou a culpa, depois cuspiu o sangue no chão.
Intensidade a flor da pele é o que podemos dizer. Nesse livro Tico Santa Cruz expôs todos seus desejos – creio eu. Temos vários contos e poemas eróticos, regados por muita sedução e por pouquíssimo pudor, diria quase nulo. Ao ler podemos perceber claramente que aqueles poemas foram escritos por ele, pode parecer loucura, mas quase pude ouvi-lo sussurrar em meu ouvido – ui – pois a intensidade que tudo ocorre é algo bem típico dele. E por ser uma figura publica conseguimos sugar tudo que foi passado no livro de maneira concisa.

Apesar de ser um livro com um cunho erótico, percebemos de inicio que o mesmo contém uma sensualidade pura, talvez por serem poemas, mas tudo acaba se tornando mais poético do que aparentava. Tico soube colocar as palavras certas, nos momentos certos, descreveu bem o cenário, os cheiros, os tons...

Apesar de ser irrelevante, a única coisa que me incomodou de verdade no livro, foi o seu cheiro muito forte. Mas o trabalho de diagramação da editora ficou impecável, é um dos livros mais bonitos que tenho na minha estante, tanto interna como externamente.

Outro ponto a ser frisado foi a forma informal que Tico escreveu seu contos e poemas. Tornando tudo bem simples de ser entendido, com uma leitura fácil que flui de maneira quase imperceptível.

Um ótimo livro para se passar o tempo, diria que foi um grande entretenimento, não espere um roteiro digno de Hollywood, pois você vai se decepcionar. Pessoas simples, momentos simples do cotidiano vistos da forma mais sexy possível.

Se você for maior de idade e estiver a procura de um bom livro para passar o tempo, eis que surge Tesão.

Resenha: O Inferno de Gabriel - Sylvain Reynard


  • Editora: Arqueiro
  • Autor(a): Sylvain Reynard
  • Nota:  
  • Skoob

Enigmático e sedutor, Gabriel Emerson é um renomado especialista em Dante. Durante o dia assume a fachada de um rigoroso professor universitário, mas à noite se entrega a uma desinibida vida de prazeres sem limites.

O que ninguém sabe é que tanto sua máscara de frieza quanto sua extrema sensualidade na verdade escondem uma alma atormentada pelas feridas do passado. Gabriel se tortura pelos erros que cometeu e acredita que para ele não há mais nenhuma esperança ou chance de se redimir dos pecados.

Julia Mitchell é uma jovem doce e inocente que luta para superar os traumas de uma infância difícil, marcada pela negligência dos pais. Quando vai fazer mestrado na Universidade de Toronto, ela sabe que reencontrará alguém importante – um homem que viu apenas uma vez, mas que nunca conseguiu esquecer.

Assim que põe os olhos em Julia, Gabriel é tomado por uma estranha sensação de familiaridade, embora não saiba dizer por quê. A inexplicável e profunda conexão que existe entre eles deixa o professor numa situação delicada, que colocará sua carreira em risco e o obrigará a enfrentar os fantasmas dos quais sempre tentou fugir.

Primeiro livro de uma trilogia, O inferno de Gabriel explora com brilhantismo a sensualidade de uma paixão proibida. É a história envolvente de dois amantes lutando para superar seus infernos pessoais e enfim viver a redenção que só o verdadeiro amor torna possível.

Harry Potter (Curiosidades #6) Part.2


Oi gente, voltei para falar mais 10 curiosidades que vocês não sabem sobre Harry Potter. Quem não leu a Parte 1 clique aqui
















11 - O menor nível de Bruxaria que um bruxo ou feiticeiro pode receber é o 12.

12 - Normalmente, as crianças bruxas são educadas em casa, não vão a escola, até irem a Hogwarts aos 11 anos, pois não é seguro que elas pudessem guardar o segredo de suas verdadeiras identidades de seus colegas trouxas. Os Weasley, por exemplo, foram educados em casa pela Sra. Weasley.

13 - Um bruxo só consegue ver um Testrálio quando já viu alguém morrer na sua frente. Harry só conseguiu vê-los em seu quinto ano, após ter visto seu amigo Cedrico Diggory morrer.

14 - As quatro casas de Hogwarts correspondem aos quatro elementos. Grifinória é o fogo, Corvinal é o ar, Lufa-Lufa é a terra e Sonserina é água.

15 - A câmera de Colin Creevey não trabalha à bateria, mas à magia envolta por Hogwarts. Ele revela as fotos a partir de uma poção mágica de revelação que permite que as figuras movam-se dentro da foto.

16 - O Patrono do Dumbledore é uma fênix.

17 - O Professor Flitwick é muito pequeno porque é descendente de gnomos. Provavelmente por seu ta-ta-ta-tataravô.

18 - Há aproximadamente 3.000 bruxos na Inglaterra.

19 - Os membros da Ordem da Fênix comunicam-se com os seus Patronos. Eles são os únicos bruxos que sabem como usar seus espíritos guardiões para isso. Dumbledore foi quem os ensinou, pois foi quem inventou esse método de comunicação.
O Patrono é um ótimo mensageiro, pois é efetivo contra as Artes das Trevas, não é atrapalhado por barreiras físicas (o Patrono atravessa qualquer coisa), e cada um é único – portanto nunca há dúvidas se a mensagem recebida é da pessoa certa, ou se foi enganado.

20 - Há dez diferentes espécies de dragões no mundo mágico de Harry Potter.


         Fonte

(Circuito Novo Conceito) Apegados - Dia 5


Você acredita em cara metade? E já achou a sua? Quantas vezes você já ouviu isso?

E aquele outro ditado que diz: "Ele é a tampa da minha panela" ou ainda "Nós somos carne e unha" e por ai vai... Já ouvi até "O chinelo do meu pé cansado"!

Mas será que existe mesmo esta tal metade da laranja? E como é que a gente acha? Como saber quem é realmente a outra metade?

É exatamente sobre isso que falam Levine e Heller, autores do livro Apegados. Nossos estilos de fixação individuais estão cravados em nossos cérebros. E são de três principais tipos: o estilo "seguro", o "ansioso" e, ainda, o estilo "evitante". Os autores explicam o que está por trás das nossas necessidades de relacionamento e, mais do que isso, ensinam aos leitores como identificar os seus próprios estilos e o estilo dos possíveis amados.

Repleto de dicas e -- o que é melhor -- com um questionário para você identificar seu estilo e o do seu parceiro (ou parceira), você ficará definitivamente apegado a este livro. 

Para se apaixonar, baixe o capítulo abaixo:


Clique no Banner para ler o primeiro capitulo.
.

(Circuito Novo Conceito) Em Busca de Um Final Feliz - Dia 4


Em busca de um final feliz é um livro sobre gente comum.


Personagens que nos deixam tristes, às vezes, por todas as situações complicadas pelas quais eles passam, mas que também nos fazem rir quando seus sonhos (alguns bem ingênuos), começam a se tornar reais.

Uma história encantadora! A vida como ela é, mas com cara de romance -- e cheia de sonhos.

E os sonhos, todo mundo sabe, são a matéria de que somos feitos.



Clique na imagem para ler o primeiro capitulo. 
.

Lançamentos Março - Editora Novo Século


Olá Lovers, tudo bom?
Hoje venho mostrar a vocês os lançamentos de Março da editora parceira aqui do blog, Novo Século. Confiram.

(Circuito Novo Conceito) As Violetas de Março - Dia 3




O amor surge quando você menos espera!

Quantas e quantas vezes você procurou um amor? Viver um grande romance é o seu sonho? E você já percebeu que quanto mais você procura, menos acha uma pessoa bacana?!

Pois é, você pode se surpreender, pois o amor surge de onde você menos espera. Mas a grande questão é: Você diz que o ama logo de cara?

A mulher tem a reputação de dizer "eu te amo" logo no início de um relacionamento, mas na verdade são eles que dizem antes. Aliás, eles admitem pensar sobre confessar o amor em média seis semanas antes que suas parceiras, segundo um artigo publicado no periódico norte-americano Journal of Personality and Social Psychology.

Por mais estranho que pareça, a resposta para essa atitude dos homens faz todo sentido à luz da psicologia evolucionista. Os homens podem ser mais impulsivos na maneira de expressar o amor, mas para eles este tem significado muito diferente do que para as mulheres.

Veja só, os pesquisadores descobriram que uma confissão de amor por parte dos homens pode resultar em sexo o mais rápido possível, que é o objetivo evolutivo final do gênero, e por isso dizem "eu te amo" o mais rapidamente possível. E, ao contrário, as mulheres só dizem "eu te amo" depois do sexo, porque elas têm mais a perder com a gravidez. A confissão para elas é um sinal do compromisso de longo prazo, bem diferente dos homens, que não querem compromisso. No jargão, eles querem "comprar na baixa" e elas, "vender na alta".

Na pesquisa feita no MIT, os homens mais felizes em obter a confissão de amor da mulher eram aqueles interessados em aventuras de curta duração, e mulheres que procuram relacionamento de longo prazo eram mais felizes em ouvir o "eu te amo" depois do ato consumado.

Pois é, padrões primitivos persistem no comportamento humano. São as bases biológicas que podem nos ajudar a entender as motivações ocultas das pessoas. Isso inclui também o comportamento de consumo, pois o homem dará muitos presentes antes de ter a mulher, e ela vai esperar uma ocasião mais tardia, que demonstre compromisso de longo prazo.



Clique no Banner para ler o primeiro capitulo.
.

(Circuito Novo Conceito) Sonhe mais - Dia 2


Você saberia lidar com a partida da pessoa amada?

Esta pergunta é o tema central do livro de Jai Pausch, Sonhe mais. Muito bom, diga-se de passagem.

Sabe quem é ela? A viúva de Randy Pausch, o sujeito que tinha câncer no fígado, fez um discurso e escreveu um livro: A lição final. Sonhe mais é a versão dela, da esposa, sobre uma vida de paixão, amor e família. Mais incrível que o primeiro!

É tão provocante, mexe tanto com a gente que eu não consegui desgrudar do livro. Logo que comecei a ler tive raiva de Randy Pausch(!), o marido, fechei o exemplar e comecei a refletir. Mas aquele livro ao meu lado parece que me chamava, então iniciei a leitura novamente, de onde parei.

Três capítulos depois e eu estava com dó -- pena mesmo -- do Randy Pausch, afinal ele estava morrendo! Pensei: "acho que ele está certo, só pensando no melhor para a esposa e filhos", e continuei a ler.

Conforme Jai Pausch, a autora de Sonhe mais, escrevia e descrevia suas experiências -- que senti todas -- comecei a pensar que ela é quem estava errada, achei a mulher fria em certos momentos.

Pois fiz uma pausa e pensei novamente! Que loucura!

Mas o livro continuava a me provocar e lá fui eu, novamente, ler. Finalmente, percebi que Jai estava vulnerável, ela ia perder o marido de quem tanto gostava, mas tinha que continuar a vida, tinha que cuidar do doente e dos filhos ao mesmo tempo ( nada como uma mulher para fazer isso), e pensar no que aconteceria depois que Randy falecesse!

Como ela foi forte, como sofreu e como amou!

Na verdade, eles viveram um grande amor! E eu vivi um turbilhão de sentimentos!

Veja, já li livros intrigantes, emocionantes, mas que me provocasse sentimentos de compaixão, raiva, compreensão, amor, dó... tudo ao mesmo tempo, este foi o primeiro.



Clique no banner para ler o primeiro capitulo.
.

(Circuito Novo Conceito) A Pousada Rose Harbor - Dia 1


Alguém viu os valores que estavam aqui? Família, lar amizade....

Você também está procurando algumas coisas que se perderam pelo caminho? Nostalgia! Talvez. Pode ser, mas na verdade sinto falta de valores simples que foram ficando de lado no "fast dia" do workaholic e sua família instantânea. Tudo tão rápido, sem consistência, sem sabor e ainda por cima, mal passado! Até os índices econômicos são com base em fast-food "Índice McDonald´s". Para o mundo que eu quero descer!

Socorro! Cadê a minha avó!? A vó Antonieta que fazia a Páscoa ficar mágica e que reunia as amigas e noras para a novena, fazia o Natal ser um grande jantar para reunir toda a família e ganhar presentes simples e até feitos à mão, e que abria as portas da sua casa para receber a festa de Santo Reis, quando se desmontava a árvore de Natal e os violeiros de roupas coloridas, máscaras e pandeiros com fitas se apresentavam em troca de uma xícara de café. Onde foi parar tudo isso?

Onde está aquela vida simples, corrida também, com muito trabalho para colocar dinheiro em casa, filhos para criar e educar? Porém simples! E cheia de valores, coisas pequenas que faziam o dia, o mês, o ano e a vida valerem à pena. Cadê o almoço em família com todos à mesa e o jantar para contarmos como foi o dia? Tenho a leve impressão que curtíamos mais a chuva na janela, que agradecíamos mais, que sonhávamos mais.

Você tem sonhado? Tem feito piquenique com seus filhos? Ou sua vida tem sido drive-thru em que você passa, pega e vai embora.

Tem uma autora americana que me faz voltar ao passado com seus livros e lembrar de todas essas coisas boas de uma vida simples. É a Debbie Macomber!

E sabe o que mais? Acho que tem um monte de pessoas saudosas como eu, porque Debbie já vendeu 170 milhões de livros no mundo! Isso significa que não só eu que tenho saudades da vida como ela era.

Como estamos tão ocupados correndo pela vida é fácil perder os momentos de prazer. Uma boa leitura pode trazê-lo de volta! A Pousada Rose Harbor é a minha dica!


Clique no banner para ler o primeiro capitulo.

Tatuagens Literárias #4

Olá gente, bem vindos a mais um Tatuagens Literárias!
Como sou uma adoradora das tatuagens, acho lindo, esse é um dos posts que eu mais gosto de fazer, então aproveitem, escolhi as tatuagens com muito gosto, dessa vez mais visada em tatuagens masculinas.

Alguém aqui tem tatuagem? Como é? Deixe nos comentários. E se for literária me envia uma foto, posto no próximo post sobre tattoos.  
As tatuagens pertencem basicamente a O Senhor dos Anéis, Game Of Thrones e Tolkien. 





Correio Literário #5


Voltei *-* depois de uns 4 meses sem gravar \o/ Peço desculpas pelo áudio, saiu muito ruim, além de estar gripada, meu pai estava dormindo, não podia falar alto. Esqueci de mostrar um monte de coisa :( no próximo, que vai ser em menos de quatro meses, prometo! Eu mostro.

Vamos conferir!

Posts Citados:

Agradecimentos:
Fonte: http://princesa-descolada-myla.blogspot.com/2013/03/paginacao-numerada.html#ixzz2j39CpByO