Resenha: O Outro lado da memória - Beatriz Cortes


  • Editora: Novo Século
  • Autora: Beatriz Cortes
  • Nota: 
  • Skoob

"Amar é encontrar uma coragem dentro de si que nem se sabia que existia". Luíza Bedim, uma jovem talentosa e cheia de sonhos, sofre uma grande decepção com a pessoa que ela mais ama. Depois desse período, passa a ser perseguida pelo medo e a dor profunda do que aconteceu. Sua vida muda totalmente e não consegue mais viver da forma que vivia antes. Luíza acredita que nunca mais será feliz, e vive alimentando-se de sua solidão interna. Anos depois do acontecido, ela conhece Arthur, um jogador de basquete novo em sua escola que chega chamando a atenção de todos. Ela o ignora totalmente no inicio, porém, é obrigada a passar uma hora de seu dia com ele. Entre muita confusão, brigas e discussões, Arthur mostra-se alguém que Luíza não esperava que ele fosse. Alguém capaz de fazer com que o outro lado de sua memória seja mudado. Descobre que só é possível encontrar a felicidade se for atrás dela. Em um romance divertido, complexo e cheio de mistério, você vai se apaixonar e sentir cada emoção vivida por Luíza em sua própria pele. Confira!

Posso começar essa resenha rasgando sedas pelo livro? Desde o começo eu sabia que iria gostar do livro, apesar de ter uma história aparentemente clichê – amo clichês. Mas acabei me surpreendendo e percebi que o livro era mais do que eu pensava e esperava.

Luiza é uma garota de 18 anos que aparenta ser normal, até que entramos mais em seu universo e percebemos que ela é marcada por magoas do passado. Luiza tem duas amigas, e ambas namoram jogadores do time de basquete da escola. Elas tentam de todas as formas fazer com que Luiza volte a se apaixonar e a se abrir para um relacionamento sério com alguém. Mas a mágoa que ela passou com um garoto deixou grandes cicatrizes que impedem que ela se envolva com alguém, afastando assim todos os garotos de si.

No decorrer da história vamos percebendo o quanto o livro é profundo, apesar de abordar um tema bem simples, ficamos pensando em vários pontos que a Beatriz deixa em aberto. Como a felicidade! Em determinados momentos somos impulsionados a buscar nossa felicidade, recebemos vários conselhos de forma subliminar de que se fomos esperar a nossa felicidade ela nunca vai chegar. Temos que nos abrir para novas experiências, para que as coisas possam acontecer na nossa vida. Muitos de nós achamos que podemos simplesmente nos sentar e esperar que as coisas venham até nós. O Famoso “O que tiver que ser, será”. Ok, eu até acredito nisso, mas se a gente ficar só esperando nada vai acontecer, temos que agir para realmente encontrar a felicidade.

“Meu maior problema era não querer ir atrás da felicidade. Achava que estava bem da forma que estava, machucada, ferida, e sim, muito acomodada.” 

Luiza custou a entender que tinha que se abrir para as pessoas, que nem todas elas eram indignas de confiança. Apesar de ser difícil lidar com uma situação difícil, ela conseguiu dar a volta por cima e abriu seu coração novamente para o amor.

Arthur entra na escola, como o novo capitão do time, ele chega arrasando o coração das meninas, e adivinha por quem ele vai se interessar? Luiza, claro! De inicio ela tem toda uma resistência com ele, principalmente pelo fato de por culpa dele os dois tenham que enfrentar uma detenção, mas essa detenção foi o ápice para que eles começassem a se aproximar e a se entender melhor. Aos poucos Luiza vai percebendo que deve dar uma chance não só para Arthur, mas também para si mesma.

Vários acontecimentos vão fazendo com que a historia flua. E várias coisas passam pela nossa cabeça tentando descobrir o que realmente perturba a Luiza. Em vários momentos fiquei com raiva da infantilidade da Luiza, em outros momentos queria abraçá-la e parabenizá-la por ter feito a coisa certa.

É maravilhosa a evolução dos personagens, seus medos superados. Notamos nitidamente que com o passar do tempo eles acabam mudando de atitudes, amadurecendo, mudando de pensamentos, aprendendo com os erros. E a amizade que prevalece durante todo o livro é muito linda também.

Poderia ficar aqui durante horas listando tudo que gostei no livro, honestamente... Como falei, apesar de parecer clichê, o livro consegue nos surpreender, o que me fez ama-lo ainda mais.

E lembre-se... “O Amor pode estar onde menos se imagina.” 

Novas Parcerias: Daniele Nhasser e Janice Diniz


Sinopse : Mariana uma jovem do interior de Minas já sofreu muito por amor e atualmente mantém a ideia fixa que esse sentimento não passa de invenção das pessoas para criar filmes e vender muitos livros. Rodrigo, um paulista, chega na cidade de Formiga e se apaixona de cara pela linda garota, mas vai perceber que ter a mulher amada não bastará galanteios, presentes e flores para derreter e conquistar a confiança da amada, e passará um dobrado.


Biografia do autor : Daniele Nhasser aos 21 anos lança seu primeiro romance "Amor és real" , amante de livros desde sempre , comanda um blog com três amigos do mesmo título (http://amantesdelivros-2012.blogspot.com.br/ ). Reside no interior de São Paulo na cidade de Capão Bonito com os pais e seu cãozinho Dodi , apaixonada pelas letras começou a escrever aos 14 anos , poesias de amor , cartas nunca endereçadas , possui até hoje em seus cadernos somando todas chega aproximadamente 300 poesias de amores e outros temas explorados por ela anos seguintes . Em março de 2012 ela teve acesso a um livro nacional que ela gostou tanto que despertou a vontade de explorar seu lado como romancista , e assim nasce seu primeiro livro . No começo ela não almejava publicação , foi depois de um incentivo de uma grande amiga ela decidiu batalhar e assim o fez . Amor , és real será lançado pela editora Aped . Atualmente ela já possui três outros títulos ( Avisada em Sonho / Amores entre as estrelas/ E assim será) , e escreve o quinto ( Talvez um dia) , mantém planos para finalizar duas estórias sobrenaturais que ela deu inicio em caderno quando ainda estudava uma tendo o titulo ( Raio de sol) e dar revisões as poesias .

Links para contato : 


Série Matarana: Romance Adulto contemporâneo.
Cenário: cerrado brasileiro. Um lugar onde nem os fortes têm vez. Caubóis da lei, pistoleiros, latifundiários, grileiros e mulheres destemidas.
Série com histórias contínuas que envolvem ação, intriga, romance e sensualidade.
No segundo semestre de 2013, lançamento de Céu em Chamas – Livro 2.

Livros da Série:Terra Ardente - Livro Um
Céu Chamas - Livro Dois
Fogo no Cerrado - Livro Três

Onde encontrar:


Janice Diniz nasceu em Porto Alegre. Estudou Filosofia e Letras. Em 2008, o conto "Não encontrei linha de costura nas Lojas Americanas" venceu concurso Exercícios Urbanos, Portal Literal. Colaborou com textos curtos para as revistas Paralelo 30, Storm Magazine (Europa), Germina e Novas Visões de São Paulo. Passou a adolescência em Santa Luzia (MG) e Osasco (SP). Teve filho em Manaus (AM) e viveu em Sorriso (MT). Por enquanto, mora em Porto Alegre com seus dois filhos, Matheus e Karla.


O que vocês acharam dessas duas queridas? Os livros são divos né? Atualmente estou lendo "Terra Ardente" e breve vocês terão resenha, e vocês ainda vão ver muito "Amor, és real" por aqui.

Resenha: A Pousada Rose Harbor - Debbie Macomber


  • Editora: Novo Conceito
  • Autora: Debbie Macomber
  • Nota: 
  • Skoob

A busca por um novo começo pode levar a grandes revelações. Jo Marie Rose decide comprar uma pequena pousada, como forma de superar a morte do marido. Mal sabe ela que as surpresas que a esperam nessa nova empreitada. Seu primeiro hóspede é Joshua Weaver, que voltou para casa para cuidar de seu padrasto doente. Os dois nunca se conheceram pessoalmente e Joshua tem alguma esperança de que possam conciliar suas diferenças. No entanto, uma habilidade de Joshua há muito perdida prova que o perdão nunca está fora de alcance e que o amor pode florescer onde menos se espera.
A outra hóspede é Abby Kincaid, que retorna a Cedar Cove para comparecer ao casamento do irmão. De volta pela primeira vez em 20 anos, ela quase deseja não ter ido, devido às memórias trazidas pela pitoresca cidade. E conforme Abby se reconecta com sua família e seus velhos amigos, percebe que só pode seguir em frente se permitir-se verdadeiramente a isso.

Não há outra forma de começar essa resenha sem falar da escrita simples, espontânea e marcante da Debbie Macomber. Em alguns momentos a narrativa foi lenta, mas nada que atrapalhasse, e a sua forma de escrever a Pousada Rose Harbor nos fez viajar até Cedar Cove e conhecer mais da nova vida de Jo Marie Rose, uma viúva que busca recomeçar do zero. Em vários momentos do livro Jo se “comunica” com seu marido morto, ambos tem uma ligação muito forte e ela afirma que ele a visita sempre que ela está prestes a dormir.

Após a morte do marido, tentando esquecer algumas magoas do passado, ela resolve comprar uma pousada em Cedar Cove, a qual nomeia: Rose Harbor. Em homenagem ao seu falecido marido.

Ouvi falar em algum blog que a Pousada Rose Harbor é na verdade uma série, onde a cada livro será abordada a vida de dois hospedes, e com passagens da vida de Jo.

Neste primeiro livro conhecemos mais a fundo sobre Abby e Joshua. Abby volta a Ceda Cover para acompanhar o casamento de seu irmão, enfrentando seus temores acompanhamos mais da trajetória difícil de Abby, que em vários momentos se torna bem emocionante.

Joshua tem uma história um pouco mais conturbada, desde pequeno sempre teve muitos problemas com seu padrasto, e agora o mesmo está a beira da morte, será que ambos vão conseguir acertar os erros do passado?

Vários personagens vão adentrando a história, cada um com seu ponto forte, afinal estamos falando de uma pousada, vamos conhecer muita gente. Alguns marcantes, outros nem tanto.

O que mais me impressionou foi à capacidade de Debbie criar uma história com três personagens principais, com histórias distintas, personalidades marcantes, cada uma com sua perspicácia.

O final ficou em aberto, nos levando a crer que sim, teremos uma continuação.
  

Meg Cabot (Curiosidade #6)

Oi gente, tudo bom?
Hoje vamos conhecer algumas curiosidades a respeito da querida Meg Cabot.


1- Seu apelido é “louquinha” (crazytop, em Inglês).

2- Se não fosse escritora, seria provavelmente uma das administradoras da GAP (loja norte-americana de roupas).

3- Seu desejo de infância era de tornar-se veterinária.

4- Suas maiores realizações foram passar em álgebra, ter uma casa própria e publicar seu primeiro livro. 

5- Quando está sem criatividade para escrever, come biscoitos e assiste televisão por alguns dias seguidos para “abrir a mente”.

6- Seus escritores favoritos quando criança eram Jane Austen, Judy Blume e Barbara Cartland. 

7- Já morou na França. 

8- Sua marca registrada são as tiaras de cabelo. 

9- Antes de publicar seu primeiro livro, era assistente administrativa de um alojamento de estudantes na Universidade de Nova York. 

10- Já estudou na Universidade de Indiana e recebeu um diploma de Bacharel em Artes em 1991. 

11- Em Setembro de 2009, veio ao Brasil para a Bienal do Livro em São Paulo e disse ser fã da escritora brasileira Clarice Lispector. Ainda recomendou um livro desta, Laços de Família. 

12- O livro A Garota Americana (All American Girl) seria transformado em filme. A atriz Raven-Symonè (da série televisiva As Visões da Raven) já estava estrelada para o papel principal. Meg não gostou do roteiro, e por isso o filme nunca foi feito. 

13- Seus filmes favoritos são: Guerra Nas Estrelas, Em Busca da Felicidade (filme de 1995), Caindo na Real, Namorada de Aluguel, Alguém Muito Especial. 

14- Possui dois pseudônimos: Patrícia Cabot e Jenny Carroll. Atualmente não os utiliza mais. Assina todos os livros como Meg Cabot.

15- Suas séries televisivas favoritas são: Tal Mãe Tal Filha, House, Degrassi, America’s Next Top Model, e muitos outros.

16- É fã das músicas de Liz Phair, Bree Sharp, Switchblade Kittens, Wheatus, Bloodhound Gang, Shakira, Madonna, Outkast, Juliana Hatfield, e Eminem.

17- Mede 1,74m de altura.

18- Tem uma gata de um olho, chamada Henrietta e um outro gato chamado Gem. 

19- Cria o título para seus livros depois que eles estão terminados. Normalmente os editores não gostam e os modificam. Apenas cerca de metade dos títulos permanecem como Meg criou. 

20- Seu sobrenome Cabot pronuncia-se como a palavra Habit. Sendo abot = abit.

Marcadores.

Oi gente, tudo bom? Quero mostrar pra vocês hoje, alguns marcadores lindos que recebi da editora Martin Claret, confiram as fotos.


O Signo dos Quatro, Esaú e Jacó e Histórias de Mowgli.


Eu achei esses Marcadores LINDOS! Jane Austen *-* Razão e Sensibilidade, Mansfield Park, Emma, Orgulho e Preconceito.


E por último, As aventuras de Pinóquio.

Gostaram dos marcadores? Vieram alguns repetidos, vou ver se faço uma mini promoção pra vocês.


Nova Parceiras: Keila Gon e Eleonor Hertzog

Oi gente, tudo bom? Hoje quero mostrar pra vocês as novas parceiras do blog, confiram os seus lindos trabalhos.


Biografia: 
Olá, pessoal.
Meu nome é Eleonor Hertzog e sou gaúcha de Porto Alegre. Pediatra por formação, sou escritora de coração. Leio desde que descobri o que eram livros; não vou dizer que escrevo desde a mesma época porque eu era realmente muito pequena. Mas, desde o primeiro livro, descobri que adorava contar histórias. No começo eram as dos livros. Mais tarde, as dos livros com alguns acréscimos. E, na adolescência, começaram a pipocar personagens, lugares e situações que não vinham de livro nenhum – estavam dentro de mim. Eu cresci, meus personagens se tornaram mais complexos. Eu aprendi, eles passaram a ver o mundo de outra forma. Tive filhos, eles souberam como ser pais e mães convincentes. O enredo se tornou mais bonito e complexo e, de repente, descobri que não tinha apenas uma história dentro de mim. Tinha mundos inteiros!
Durante anos, família e alguns amigos muito próximos (meus únicos leitores até agora) me questionaram a respeito de quando eu iria finalmente considerar o livro pronto. Bom, está pronto agora. Orgulhosamente pronto!
Entrego nas mãos de vocês meus personagens, meu enredo, meus mundos. Espero que tenham tanto prazer lendo quanto eu tive escrevendo!

Sinopse: 
Ninguém sabe exatamente quais são os critérios de seleção da Escola Avançada de Champ-Bleux, mas não há como discutir sua eficácia. Seus exames de ingresso não erram nunca! Entre milhares de candidatos de todos os pontos da Terra, apenas duzentos e cinquenta são escolhidos a cada semestre. E, num mundo onde ser cientista é o maior status que alguém pode desejar, a Escola Avançada de Champ-Bleux forma aqueles que são disputados a peso de ouro.
Doris e Henry Melbourne são cientistas formados por Champ-Bleux. Aparentemente, são biólogos marinhos. Aparentemente, suas vidas se centram no Cisne, barco de pesquisas onde moram com os filhos. E, também aparentemente, são terráqueos...
Seus filhos acreditam em todas essas aparências – ao menos por enquanto. Seguindo os passos dos pais, os jovens Melbourne fizeram os exames de ingresso para Champ-Bleux. Enquanto, cheios de expectativa, aguardam os resultados para saber se ao menos um deles entrou na Escola Avançada, veem-se envolvidos numa questão diplomática entre Terra e Tarilian, o único outro mundo habitado que os terráqueos conhecem. Inesperadamente, o futuro das relações entre os dois mundos vai ser decidido em um barco no meio do oceano!
Mal sabem eles que isso é apenas o começo... Logo precisarão decidir pela Terra inteira!

Redes Sociais:
Keila Gon nasceu em São Paulo, capital. Filha de pais aventureiros viveu boa parte da infância em Minas Gerais onde desfrutou de amizades inesquecíveis e compartilhou com a irmã mais velha o contato com a natureza. Este ambiente repleto de mitos e liberdade sempre instigou sua imaginação. Aeronauta por profissão, cursou Administração com Comércio Exterior em Campinas, São Paulo, trabalhou em diferentes áreas comerciais, mudou algumas vezes e viajou o necessário para acumular experiências inspiradoras. Amante dos livros de romance e ficção, é apaixonada pelo mundo da fantasia e depois da maternidade reuniu coragem para se aventurar no mundo das letras. Atualmente, reside em São José dos Campos, SP, com o marido, a filha e um gato.

Sinopse:
O INESPERADO, O IMPOSSÍVEL, O DESTINO... Quem ama escolhe seus caminhos, vence o medo, ultrapassa a razão, duela com a dúvida entre o certo e o fácil para seguir seu coração. Melissa encontrou em um olhar as revelações de toda uma vida e longe da lógica escolheu o caminho confuso, mas surpreendente do amor. Ela chegou à pequena cidade da montanha com a responsabilidade de cuidar de Alice, sua irmã caçula, esperando uma vida simples. Mas se viu envolvida por Vincent, um estranho arrogante, dono de irresistíveis olhos turquesa que vai levá-la através da sombra e da luz para revelar surpresas inimagináveis de um Mundo Mágico perigoso e fascinante. A cada encontro este homem misterioso amedronta e encanta; desperta sentimentos e a faz duvidar de sua coragem. Mas, antes que Melissa seja arrebatada por esse amor, ela precisa enfrentar elfos, magos e intrigas em um mundo inóspito que testará seu coração. Cores, de outono é o primeiro volume de uma saga mágica que vai instigar emoções e paixões.


Redes Sociais:





Resenha de Filme: Somos Todos Diferentes


Informações Técnicas
Título no Brasil:  Somos Todos Diferentes / Como Estrelas Na Terra
Título Original:  Taare Zameen Par
País de Origem:  Índia
Gênero:  Drama
Tempo de Duração: 165 minutos
Ano de Lançamento:  2007
Direção:  Aamir Khan / Amole Gupte 








           Somos Todos Diferentes ou Como Estrelas na Terra foi o primeiro filme produzido em Bollywood que eu assisti e foi uma surpresa agradável. A história gira em torno de Ishaan, um garoto com cerca de 8 anos, que repetiu o terceiro ano (no sistema educacional indiano) e que na minha opinião mostra-se muito rebelde, desobediente, irresponsável e mimado pela mãe (resumindo: aquele tipo de moleque que tu tens vontade de esganar).                  Mas Ishaan tem seus motivos para ser assim, ele tem uma grande dificuldade para aprender os conteúdos escolares, uma vez que as letras e números parecem dançar na sua frente.
Incompreendido pelos pais, pelos professores da escola que frequenta e sofrendo por conta de seus problemas, ele acaba tendo que estudar em um colégio interno, cujo objetivo é “domar os cavalos mais selvagens”. Nesta escola, Ishaan sofre com a falta de sua família, com o ambiente totalmente novo e rígido ao qual ele passa a viver e acaba perdendo a única coisa que ele era realmente bom: a arte.
             Mesmo com seus problemas, Ishaan sempre foi um ótimo artista e usava as pinturas como válvula de escape, mas isso acaba com a chegada desta nova realidade e é aí que a situação se complica. O menino, de apenas 8 anos, se vê sozinho no mundo, uma vez que todos possuem uma opinião errada sobre ele e começa a desenvolver um perigoso quadro de depressão.
                Eis que as coisas iniciam uma mudança positiva com a chegada de um professor substituto de artes, Ram Shankar Nikumb (que é o Aamir Khan, o cara tanto dirige quanto atua no filme, e não é por nada não, mas ô indiano gostoso!), que carrega toda uma energia diferente daquela existente no colégio. Ele rapidamente torna-se o professor favorito dos alunos por conta de sua animação e seu jeito especial de ensinar, mas toda essa animação não parece contagiar o jovem Ishaan que até alguns meses antes era apaixonado pela arte.
Nikumb (abreviei por motivos óbvios), percebe que Ishaan tem algo de diferente e se esforça para compreendê-lo e incentivá-lo aos estudos. É ele o primeiro a descobrir que o garoto não é tão rebelde e desleixado assim, mas que sofre de um transtorno grave de dislexia que lhe impossibilita de aprender os conteúdos através dos métodos normais.


             A lição que aprendemos com o filme é de suma importância, uma vez que sempre houve aquela generalização nos sistemas de ensino, mas não é bem assim. Cada criança tem sua maneira diferente de aprender, de lidar com as situações e só porque ela não se adapta de alguma forma com o jeito convencional, não significa que ela deva ser esquecida e deixada de lado.
Nikumb é um professor maravilhoso, que entende os problemas de Ishaan e o ajuda a conviver com sua dislexia, aos poucos, Ishaan vai percebendo que sua diferença não é algo ruim e logo se torna um aluno como qualquer outro na escola. Suas notas aumentam, os professores começam a elogiá-lo e seus pais finalmente compreendem que o filho é perfeito da maneira que ele é.
             Somos Todos Diferentes é o tipo de filme que todo mundo deveria ver um dia, trata de variadas questões, entre elas do sistema educacional e dos valores familiares, além do modo como mais tarde as pessoas se inserem na sociedade. É um filme muito bem feito, com ótimos atores e com uma trilha sonora impecável. Recomendo!



Tags - Desafio dos Titulo e Alfabeto Literário



Olá gente, como vocês estão? A querida Gil do blog Ler e Pensar me indicou pra tag "Alfabeto Literário". E como já ia gravar esse vídeo, aproveitei e gravei o "Desafio dos títulos" proposto pela Aione do blog Minha Vida Literária. Abaixo os dois videos, e no fim do post, os blogueiros que eu indico para responderem o "Alfabeto Literário". Já o "Desafio dos títulos" pode ser feito por qualquer um, basta linkar a nossa querida blogueira Aione.

Lançamentos - DarkSide® Editora


Olá gente, tudo bom? Como vocês sabem, eu amo livros de terror, e hoje vim mostrar pra vocês um pouquinho dos lançamentos da querida editora DarkSide. Vamos conferir?

Resenha: Ladrões de Elite

Título: Ladrões de Elite
Autora: Ally Carter
Editora: Arqueiro
Páginas: 231
Ano: 2011
Estrelas: 3/5


Quando tinha 5 anos, Katarina Bishop distraiu os guardas da Torre de Londres para que o pai pudesse roubá-los. Aos 7, ela ouviu o tio Eddie planejar a interceptação de 80% do caviar do planeta. Quando fez 15 anos, Katarina armou um golpe por conta própria - um esquema para entrar no melhor colégio interno dos Estados Unidos e deixar para trás os negócios da família. Só que trocar de "ramo" e ter uma vida normal acabou sendo mais difícil do que Kat esperava. Hale, seu amigo charmoso, bilionário e antigo comparsa, logo aparece para levá-la de volta à realidade da qual ela havia se esforçado tanto para fugir. Mas é por um bom motivo: uma inestimável coleção de arte de um temido mafioso foi roubada e ele quer recuperá-la, custe o que custar. Somente um mestre do crime poderia ter realizado essa proeza e o pai de Kat é o único suspeito, embora insista em negar qualquer envolvimento. Encurralado entre a Interpol e um inimigo assustador, ele precisa da ajuda da filha. Para Kat, só existe uma saída: Encontrar os quadros e roubá-los de volta. Não importa se parece impossível, se ela não tem pistas do ladrão e se o prazo é de apenas duas semanas. Com uma equipe de adolescentes talentosos e uma mãozinha da sorte, Kat está determinada a realizar o maior golpe da história da família e provar que jamais a abandonou.


 Que livro mais gostoso de ler!

Kat é o tipo de garota que eu gostaria de ser e Hale é o tipo de namorado que eu gostaria de ter!

Nesse primeiro livro Kate é expulsa do colégio interno que estudava através de Hale, seu melhor amigo, fica sabendo que o pai é o único suspeito de um crime e o dono dos quadros fará de tudo para tê-los de volta.

O livro é dividido de forma cronológica (que é o prazo que Kat tem para entregar os quadros roubados ao dono e evitar que o pai sofra as consequências) e também em cada divisão informa o local em que estão, uma vez que Kat e seus amigos percorrem vários países à procura de pistas que os possam levar ao ladrão e/ou os quadros roubados.
A história é carregada de mistério, humor, arte e fatos históricos; é notável que a autora se aventurou no mundo das pesquisas para criar esse enredo, e tudo isso valeu a pena.

 O que tenho de negativo a dizer é que em algumas cenas tudo foi rápido demais e ficou difícil de pegar algumas informações que mais tarde seriam cruciais para o desenrolar do contexto.

O livro terá uma continuação chamada Crimes Incomuns e nele espero que a autora responda as questões que deixou em aberto no primeiro volume.
Ladrões de Elite teve seus direitos cinematográficos vendidos para a Warner Bros e eu tenho esperança que eles adaptem o texto fielmente para as telonas.

 Indicado! 






Resenha: Sonhe Mais - Jai Pausch

  • Editora: Novo Conceito
  • Autora: Jai Pausch
  • Nota: 
  • Skoob
Jai Pausch passou por um trauma: a perda do marido para um câncer de pâncreas. A enfermidade de Randy Pausch também destruiu as verdades e as certezas em que Jay acreditava. Pega de surpresa pela doença, que avançou rapidamente, Jay Pausch precisou inverter suas prioridades. Acostumada a cuidar da família, percebeu que aquele era, também, o momento de cuidar de si mesma, porque, do contrário — caso fraquejasse —, sua família não sobreviveria. E, apesar de todas as alterações pelas quais passou, foi capaz de registrar a maior parte de suas experiências, dúvidas e medos.
Este registro acabou se constituindo num relato vigoroso sobre como a morte muda o relacionamento entre as pessoas e sobre como é possível sobreviver, passo a passo, a essas mudanças.
Sonhe Mais é referência para todos os que estão vivendo uma fase de transição e é leitura obrigatória para aqueles que passaram, ou estão passando, por um momento de dor.
Tocante é a palavra mais apropriada para se caracterizar esse livro, com uma narrativa envolvente, Jai consegue nos anexar a sua jornada contra o câncer de seu marido, Randy Pausch.

“Quando a vida parece um mar de rosas, é difícil imaginar o chão tremendo e depois engolindo você por inteiro.”

Após oito anos de casados, Randy e Jai se deparam com um grande muro em seu caminho, que colocava em jogo não somente a vida de Randy, mas todos os sonhos, planos, vontades e futuro da família Pausch.

“Então, com uma voz firme e segura, o homem dos meus sonhos me disse, sem rodeios, que morreria.”

Em Sonhe Mais podemos acompanhar de perto a trajetória, e acima de tudo as esperanças e medos de um portador de câncer de pâncreas. Cada acontecimento relatado no livro nos faz pensar sobre a nossa vida, nosso futuro e principalmente nossa saúde, cada passagem nos mostra uma mensagem diferente, de amo, dedicação, fé, esperança e persistência. Jai colocou no livro todos seus medos, sua coragem e seu amor incondicional pelo marido.

Durante o livro inteiro eu chorei junto de Jai e Randy, cada visita ao oncologista, cada piora, cada quimioterapia, a cada brecha de esperança, a cada momento dessa longa e dolorosa jornada.

No tempo que esteve doente, Randy fez uma palestra – assista a palestra abaixo – e esta foi colocada no youtube, e fez um baita sucesso.


TESTE: Spoiler, Sim Ou Não?

Olá gente, tudo bom? Estava andando pelos blogs quando me deparei com esse teste, no blog Corações de Neve do queridíssimo Gabriel Rezende. Você gosta ou não de Spoilers?

Correio Literário 6 e 7

















Oi gente, como vocês estão? Enfim, depois de um mês sem vídeo  cá estou eu com mais um correio literário, dessa vez dividido em dois videos... O especial Novo Conceito e o normal. Resolvi gravar dois videos pois nem todo mundo curte ver os videos da NC, muita gente grava, mas quem quiser assistir é só clicar. Quem quiser pode apenas assistir o vídeo normal, com os outros livrinhos. Vamos parar de papo e vamos direto ao assunto.

Resultado + Novo Top Comentarista.

Olá gente, tudo bom? Fiquei muito feliz com a repercussão do top comentarista de Abril, que resolvi criar outro agora em Maio, todos felizes? Bom, falaremos disso mais em baixo. Vamos primeiro ao resultado do Top Comentarista de Abril.

Tivemos um grande empate com relação aos comentários  muitas de vocês comentaram abeça e acabou que quem teve que escolher a sortuda foi o random.org.
Vocês podem conferir a tabela de comentários clicando Aqui.

Foram 7 meninas que comentaram mais, então tive que colocar um número para cada uma (de acordo com a sua participação no primeiro post) As sete finalistas foram:

Resenha: Losing It

Título: Losing It
Autora: Cora Carmack
Páginas: 204
Em breve será lançado pela Editora Novo Conceito :)
Estrelinhas fofas: 4

Virgindade.Bliss Edwards está prestes a se graduar na faculdade e ainda possui a dela. Louca por ser a única virgem entre seus amigos, ela decide que a melhor maneira de lidar com o problema é perdê-la o mais rápido e de forma mais simples possível — um caso de uma noite. Mas seu plano acaba por ser nada simples quando enlouquece e deixa um maravilhoso cara sozinho e nu em sua cama com uma desculpa que nenhuma pessoa com metade do cérebro acreditaria. E se isso já não fosse bastante embaraçoso, quando chega para sua primeira aula do último semestre, ela reconhece o novo professor de teatro. Ela o deixou nu em sua cama há cerca de oito horas atrás.


Sabe quando você ama de paixão um livro?
Pois é, foi assim que me apaixonei por Losing It, eu A-M-E-I, vou até repetir: amei, amei, amei, amei, amei, amei, amei, amei, amei, amei, am...chega. Vocês já entenderam.

Esse foi um livro que eu peguei porque tinha apenas 204 páginas, seria uma leitura rápida (no meu caso umas duas horas), apenas para passar o tempo. Para mim, seria apenas mais um new adult bobinho como muitos que foram lançados ultimamente.

O quão enganada eu estava!

A história toda é narrada por Bliss, uma estudante de 22 anos que ainda é virgem e ao escutar sua amiga, vai até um bar para encontrar um cara que tire sua virgindade, que para ela é apenas um problema que deve ser resolvido o mais rápido possível.
Eis que ela conhece, Garrick, um britânico lindo e intelectual, eles flertam e acabam indo para o apartamento nela, só que na hora H, Bliss surta e inventa uma história absurda para que ele vá embora.

É claro que ela se arrepende e fica pensando em todos os e se... possíveis, mas então ela enfia na cabeça que nunca o verá novamente e segue em frente. Porém, como esses clichês são tão bem-vindos e fofos, Garrick acaba por ser seu novo professor de teatro e ela terá que conviver com isso, sentindo vergonha por causa da situação constrangedora que os envolveu na outra noite e ao mesmo tempo contrariada por conta dos sentimentos conflitantes que tem por ele.
Em Losing It, Cora Carmack misturou teatro, conflitos e todo o sentimentalismo dos universitários, dando mais humanidade aos seus personagens. Cheia de intertextualidade e paráfrase, ela une as questões que mais se passam na vida dos jovens estudantes e os transforma numa bela e adorável história de amor.

Bliss é uma jovem louca com sua virgindade e gosta de controlar tudo e sempre pende para o lado da razão, já Garrick é um cara aparentemente sério, é muito companheiro e sexy, e ele faz o par perfeito para Bliss. O que eu gostei dessa história é que não houve grandes reviravoltas, não havia aquela vadia que quer agarrar o cara ou um estudante que fizesse tudo o possível para impedir que o casal ficasse junto. Não houve enrolação.
É um romance suave e fofo, perfeito para ler em poucas horas e que te garantirá boas risadas.
Só a capa que achei meio sem sentido, os modelos não combinam muito com a descrição de Bliss e Garrick e a única coisa ali que lembra um pouco a história é a cara de êxtase da Bliss, mas enfim...acho que é porque o cara da capa é loiro...tenho problemas com loiros, mas o Garrick também é loiro, mas eu gosto dele...e enfim, melhor parar por aqui :D

Mais uma indicação para vocês se aventurarem nesse livrinho fofo e suave.
Mais que recomendado!
Beijos da Mah!
Fonte: http://princesa-descolada-myla.blogspot.com/2013/03/paginacao-numerada.html#ixzz2j39CpByO