Resenha: Psicose - Robert Bloch


  • Editora: DarkSide
  • Autor: Robert Bloch
  • Páginas: 240
  • Nota: 
  • Skoob

Livro que deu origem ao mais famoso filme de suspense de todos os tempos. Psicose conta a história de Marion Crane, que foge após roubar o dinheiro que foi confiado a ela depositar num banco. Ela então vai parar no Bates Motel, cujo proprietário é Norman Bates, um homem atormentado por sua mãe controladora. Belo suspense, de tirar o fôlego!




Livro que deu origem ao filme Psicose, lançado em 1960 dirigido por Hitchcock. Após 50 anos do lançamento da primeira edição, Psicose ganha uma nova e linda versão publicada pela editora DarkSide. Ao ler o livro de Robert, Hitchcock ficou tão fascinado pela história que acabou comprando os exemplares e os trancafiou em uma sala, pois não queria que as pessoas soubessem do final antes de assistirem o seu filme, ele comprou os direitos na obra de Robert por míseros 9 mil, e adivinha? Ganhou cerca de 40 milhões. De inicio foi muito difícil conseguir produzir o filme, pois ele era taxado como “pesado” para a época, criando maior polemica. Quem não assistiu ao filme provavelmente vai se surpreender com o desfecho do livro, quem assistiu pode ser que perca um pouco daquele impacto, mas isso de maneira alguma atrapalha o desenrolar da leitura, tanto que dei cinco estrelas e ainda adicionei aos favoritos. 

E quem não lembra da tão famosa cena do banheiro? Com aquela música clássica de terror, que provocou muitos sustos em diversas pessoas pelo mundo?



Confesso que o livro sem sombra de dúvidas é melhor que o filme, apesar do filme ser um clássico do terror/suspense. A narrativa de Robert é majestosa. A cada página somos presos a uma aterrorizante vontade de saber mais sobre o Bates Motel, de adentrar aquelas paredes e conhecer seus segredos, e seus sombrios donos, Norma e Norman Bates, Norman é um homem de aproximadamente 40 anos que é assombrado por sua tenebrosa mãe, ele nunca casou, nunca namorou e vive até os dias de hoje na “barra da saia” de Norma. A personalidade de Norman é tensa demais, ele tem explosões de humor que nos dão calafrios. 

Tudo no Bates Motel muda a partir do dia que Mary entra por aquela porta, atrás de um lugar para ficar, Após fugir de sua cidade por ter efetuado um roubo de nada menos que 40 mil dólares. Marion é uma mulher bonita, com seus 27 anos aproximadamente, e logo acaba chamando a atenção de Norman, que é um homem nada acostumado com as mulheres. Esse é o ponto do livro onde tudo começa, onde as coisas começam a ter um efeito diferente, foi nesse exato momento da chega de Marion que eu comecei a ter uns calafrios básicos, Não que a história seja do terror mais assustador do mundo, mas a forma como Robert escreve consegue ser tão sombria que não fazemos idéia do que esperar nas próximas páginas. 

Comecei esse livro despretensiosamente, pois já tinha ouvido falar que era bem diferente do filme, e como faz tempo que assisti ao filme, consegui absorver muito mais da história. E foi sem um dos melhores finais pra mim, não poderia esperar um desfecho melhor. 

Norman é um tipo diferente de vilão, entendemos tudo no final. Mas posso adiantar vocês não se arrependeram de ler. 

Conversei com a minha mãe sobre o filme, e ela acabou me contando que na época, as pessoas morriam de medo, e se você parar para pensar no filme de 1960, nos dias de hoje não provoca o mínimo susto, estamos familiarizados com filmes tão mais assustadores que aquele clássico não nos convence mais, porém, se você for – assim como eu – um grande apreciador de filmes antigos, provavelmente irá gostar. Mas com o livro é diferente, pois quando lemos, acabamos nos transportando para o Bates Motel, e acabamos criando o nosso ponto de vista, o nosso universo, Robert sabe como nos transportar para as páginas e nos fazer imaginar as cenas mais grotescas que você puder imaginar. Cada detalhe que ele escreve nos provoca diversos sentimentos e sensações, são cheios, gostos, medos, calafrios... 

Se você assistiu ao filme leia o livro e não se arrependerá. Indico. Nada que eu escreva aqui, consegue expressar realmente o que você sente ao entrar no Bates Motel.

8 comentários:

  1. Olá Kéh,
    confesso que estou bem curiosa para ler o livro,
    mas o problema é que não assisto/não gosto de filmes de terror ou suspense pois sou uma medrosa de carteirinha, então fico meio assim do que esperar dessa leitura. Também estou com vontade de assistir Bates Motel a série que é baseada no filme, mas também fico meio assim ahahah.
    Adorei a resenha e medos a parte só aumentou minha curiosidade,
    bjs

    Love Books

    ResponderExcluir
  2. Lindona, vi você falando do livro lá no Face e já estava ansiosa para ler a resenha.
    Apesar de não ser um estilo de livro que eu frequentemente leia, eu adoro essa história desde que me entendia por gente. E a forma maravilhosa que você descreveu ela me deixou de coração na mão para ler.
    Adoroooo ler sobre terror! Mais até do que assistir. hehehehe
    Amei sua resenha!!

    bjus
    terradecarol.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi amiga, nossa que resenha maravilhosa, fiquei aqui super empolgada com o livro.
    Com certeza vou querer ler, ainda mais por que eu não assisti Psicose. Só vi algumas cenas do filme, entre eles, a famosa cena do banheiro.
    É certo que os filmes antigos de terror não causam muito medo em nós, hoje em dia, pois a tecnologia atual, deixam esse tipo de filme no chinelo, mas como vc disse, quem apreciam um bom filme antigo, com certeza vai curtir.
    Não sei se vou assistir ao filme, mas o livro, com certeza vou querer ler.
    Adorei muito amiga, bjokas.

    www.lerepensar.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Kéh :)

    Adorei a resenha e a história!
    Com certeza quero lê-lo :)
    O filme acho que não terei coragem de assistir, rss. Mas livros assim eu gosto muito :D

    Bjs
    http://acciobks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Eis eu aqui amiga, falando sobre esse livro tããão comentado, não?? hahaha
    Então, eu gostei muito da sua resenha. E fiquei curiosa sobre o Bates Hotel, ainda que eu seja tão medrosa, e concordo que o filme hoje nem seria tão assustador. Mas, amiga, como já conversamos antes, se VOCÊ sentiu calafrios com esse livro, EU nem vou comentar nada né... kkkk Um dia, quando o meu marido trocar o plantão para o dia, ai sim, poderemos considerar, né?! rsrsrs

    Beijos,

    Celle
    www.bestherapy.net

    ResponderExcluir
  6. Olá Kéh!
    Acredita que nunca vi esse filme? sério #vergonha
    sempre é tão bem comentado e com essa música clássica haha.. fiquei curiosa com a sua resenha, mas sou um pouco medrosa rs' tenho muita vontade de ler livros assim, e nunca que consigo comprar devido ao meu medo! Mas espero que isso mude logo, logo!

    Beijos,
    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br/2013/08/resenha-o-julgamento-de-gabriel-sylvain.html

    ResponderExcluir
  7. Oi Kéziah;
    Gostei de sua resenha, o livro deve ser delicioso de se ler, me deixou aqui querendo mais depois de desfrutar de sua resenha.
    Gostei do filme quando assisti anos atrás, acho que breve compro o livro.
    Obrigada pela dica.
    Beijos
    Viviane
    Razão e Resenhas

    ResponderExcluir

Sua opinião é de extrema importância.
Sinta-se a vontade para deixar sua sugestão, crítica, dúvida, opinião, etc.
Mas lembre-se, seja educado com seus comentários e dispense palavras de baixo calão, pornografias e qualquer outro tipo de preconceito.
Deixe o link do seu blog ou qualquer outro tipo de contato para que eu possa retribuir sua visita.

Obrigada pela visita, volte sempre que puder.
Beijos!

Fonte: http://princesa-descolada-myla.blogspot.com/2013/03/paginacao-numerada.html#ixzz2j39CpByO