Resenha: A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista - Jennifer E. Smith

Título: A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista (pequeno...)
Autora: Jennifer E. Smith
Páginas: 224
Editora: Galera Record
Ano de Lançamento: 2013
Estrelas fofas: 3/5



Com uma certa atmosfera de Um dia, mas voltado para o público jovem adulto, A probabilidade estatística do amor à primeira vista é uma história romântica, capaz de conquistar fãs de todas as idades. Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo. Passada em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferentemente das bagagens, jamais se extravia.





A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista cumpre o que promete. É uma leitura rápida e fluida que nos leva ao mais profundo conhecimento sobre Hadley.

A princípio, eu estranhei pelo fato de ser narrado em terceira pessoa. É obvio que já li livros desse jeito antes, mas fazia um tempo que isso não ocorria então demorei um pouco para me adaptar. No entanto, mesmo sendo em terceira pessoa, nós só temos acesso às reflexões e diálogos pessoais da Hadley, sobre o nosso queridinho Oliver, podemos apenas suspeitar o que se passa na mente dele.

Não é um livro ruim, mas também não direi que foi um dos melhores que já do gênero. Como eu disse, é uma leitura rápida que você finaliza em questão de horas e para quem está afim de romance, irá se decepcionar um pouco; não que não tenha romance, é claro que tem! Ele apenas não é o foco principal da história.

A autora soube pôr em cheque todos os sentimentos conflitantes da protagonista e nos faz avaliar que nossos problemas, comparados aos problemas dos outros são mínimos. Nos faz refletir e parar de pensar apenas em nós mesmos, dando a ideia de que o mundo realmente não gira ao nosso redor.
Tudo começa quando Hadley chega atrasada no aeroporto e por 4 minutos, perde o seu vôo. Nesse caso, é impossível eu não comparar com o livro 5 Minutos do autor brasileiro José de Alencar – o protagonista perde o ônibus e é somente por conta desse atraso, que ele conhece o amor de sua vida, - tudo bem, a ideia da autora ter lido 5 Minutos soa distante, mas é apenas uma comparação que rapidamente chegou em minha mente.
Já no aeroporto, cheia de sentimentos conflitantes em relação ao casamento de seu pai, a mocinha conhece Oliver, um britânico gentil e Nerd com um charme adorável e aí as faíscas começam a rolar.
Durante toda a história, há passagens sobre eventos que ocorreram no passado da protagonista, geralmente numa de suas lembranças do tempo em que seu pai ainda era casado com sua mãe e vivia com ela. Sobre esse assunto, só tenho a dizer que me identifiquei muito com ela. 
No livro não há frescura, não há ataques de pelanca e nem crises sem sentido de choros. É adolescente? Sim. Mas a personagem principal tem uma maturidade que dá inveja e mesmo infeliz por dentro e com a cabeça conturbada, ela aceita o fato de que, infelizmente, seu pai está feliz e não é com sua mãe.

Já em relação ao Oliver, definitivamente tudo que eu posso dizer é que realmente foi à primeira vista. O diálogo entre os dois é incríveis e houve um determinado momento, em que lágrimas saltaram meus olhos. Mesmo não tendo muito acesso ao ponto de vista dele, em certo capítulo você é capaz de sentir a dor dele, perante a um acontecimento trágico.
Para mim o final deixou um pouco a desejar. Ocorreu tudo muito rápido e eu achei que a autora poderia ter estendido mais ou tê-lo escrito de um modo diferente, mas não acho que isso estragou a história.

Enfim, A Probabilidade Estatística do Amor á Primeira Vista é um livro leve, contudo recheado de autorreflexões que também servem para o leitor, e que deixa a todos com um gostinho de quero mais no final.


P.S.: pra quem gosta de ler escutando música, aconselho a ler ao som de Vanilla Twilight de Owl City e All About Us de Owl City feat. He Is We. 

2 comentários:

  1. Olá....
    Adorei a sua resenha, eu já havia lido várias resenhas desse livro, mas só na sua encontrei um ponto de vista diferente, acredito que eu já tenha lido o livro inteiro de tanto que eu li de resenhas. Eu tenho vontade de ler, mas ele não está na minha lista de prioridades rsrsrs.. Xero!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Essa trama lembra os filminhos fofos da sessão da tarde, ;)

    Bjo!

    Visita o meu cantinho e se puder segue, =D

    http://meuhobbyliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Sua opinião é de extrema importância.
Sinta-se a vontade para deixar sua sugestão, crítica, dúvida, opinião, etc.
Mas lembre-se, seja educado com seus comentários e dispense palavras de baixo calão, pornografias e qualquer outro tipo de preconceito.
Deixe o link do seu blog ou qualquer outro tipo de contato para que eu possa retribuir sua visita.

Obrigada pela visita, volte sempre que puder.
Beijos!

Fonte: http://princesa-descolada-myla.blogspot.com/2013/03/paginacao-numerada.html#ixzz2j39CpByO