Resenha: Paixão sem Limites - Abbi Glines


  • Editora: Arqueiro
  • Páginas: 192
  • Titulo Original: Fallen Too Far
  • Nota: 
  • Skoob

Blaire Wynn não teve uma adolescência normal. Ela passou os últimos três anos cuidando da mãe doente. Após a sua morte, Blaire foi obrigada a vender a casa da família no Alabama para arcar com as despesas médicas. Agora, aos 19 anos, está sozinha e sem lugar para ficar. Então não tem outra escolha senão pedir ajuda ao pai que as abandonara. Ao chegar a Rosemary, na Flórida, ela se depara com uma mansão à beira-mar e um mundo de luxo completamente diferente do seu. Para piorar, o pai viajou com a nova esposa para Paris, deixando Blaire ali sozinha com o filho dela, que não parece nada satisfeito com a chegada da irmã postiça. Rush Finlay é filho da madrasta de Blaire com um famoso astro do rock. Ele tem 24 anos, é lindo, rico, charmoso e parece ter o mundo inteiro a seus pés. Extremamente sexy, orgulha-se de levar várias garotas para a cama e dispensá-las no dia seguinte. Blaire sabe que deve ficar longe dele, mas não consegue evitar a atração que sente, ainda mais quando ele começa a dar sinais de que sente a mesma coisa. Convivendo sob o mesmo teto, eles acabam se entregando a uma paixão proibida, sobre a qual não têm nenhum controle. Mas Rush guarda um segredo que Blaire não deve descobrir e que pode mudar para sempre as suas vidas.

Paixão sem Limites é o primeiro volume da trilogia “Too Far”, publicado no Brasil pela editora Arqueiro. Mais um New Adult, será? Sim, mais um, porém posso dizer que um dos melhores New Adults, apesar de ser um livro repleto de clichês do tipo: “Mocinha indefesa que perdeu alguém da família/está sozinha/ se recusa a aceitar ajuda” e “Mocinho que é alérgico ao amor, e que só vive para o sexo” e tcharam: Se apaixonam um pelo outro.

Ok, pode parecer obvio demais, mas Abbi consegue nos envolver com toda a trama, e consegue anexar elementos que deixam a leitura muito mais gostosa. O resultado é uma leitura leve, rápida e extremamente envolvente.

Blaire acaba de perder sua mãe para o Câncer e está sozinha, e sua única saída é recorrer ao seu pai – aquele que anos atrás abandonou Blaire e sua mãe. Como será cair de pára-quedas em uma família nova? A mesma família que seu pai criou após abandoná-la. O pai de Blaire é padrasto de Rush, um bad-boy assumido, que ama baladas, pegação e odeia se quer pensar em relacionamentos firmes e duradouros. Assim que Blaire coloca os pés na “nova casa” é recebida a pedradas pelo seu “irmão postiço”, o que não imaginávamos é que Rush tem razões para não gostar dela. Parte dessas razões será um mistério até o final do livro. Segure-se.

Morar sobre o mesmo teto que um cara irresistível não parece uma tarefa fácil não é? Blaire acaba deixando os sentimentos falarem mais alto e a cada dia está mais caidinha por Rush, e acreditem... É recíproco. E quem devemos culpar por essa Paixão sem Limites? Em minha opinião a culpa é toda do Rush, têm como resistir àqueles músculos definidos, aquela boca maravilhosa, aquele jeito durão, as tatuagens? Não tem. Daí você se pergunta, sim, mas qual o problema? Porque ambos não podem simplesmente viver esse amor? Nem tudo na vida são flores, lembre-se que Blaire é filha do padrasto de Rush e se não fosse o bastante, eles não tem uma boa relação devido a acontecimentos do passado, temos também a adorável –sqn–irmãzinha do Rush, que pra variar não gosta nada de Blaire. E o fato de Rush todo dia desfilar pela casa –pelado– com uma menina diferente não ajuda muito.

Obvio que não podemos controlar nossos sentimentos, portanto... Eles devem se deixar levar por essa paixão? 

A escrita da autora é algo fabuloso, quando comecei a leitura não consegui me desprender dos personagens, da história em si, que apesar de parecer bem fútil e clichê nos mostra que estamos errados e nos surpreende cada vez mais. E o final, ah o final... Juro que queria matar a autora e a editora Arqueiro. A autora por terminar um livro desse jeito, como pode fazer isso com nossos sentimentos? E a editora por nos fazer esperar tanto por uma continuação. Vem logo fevereiro.

Se você assim como eu, ama esses romances cheios de altos e baixos, com problemas a serem resolvidos, com bad boys que nos surpreendem e nos encantam a cada página, tenho certeza que vai amar essa leitura. Venha e embarque nessa Paixão sem Limites.

Resenha: As Duas Faces do Destino - Landulfo Almeida


  • Editora: Novo Século
  • Páginas: 488
  • Nota: 
  • Skoob

Bruno havia desistido de encontrar um sentido para sua vida quando é recrutado por uma extraordinária mulher, dona de habilidades incomuns, para lutar contra um poderoso inimigo. Kerligan Amnael possui o conhecimento, o dinheiro, a inteligência e a vontade para causar enormes prejuízos à humanidade. Apesar das dúvidas, Bruno resolve seguir seu coração e seus instintos e abraçar o destino ofertado por Adrianna. Exilado de sua antiga vida ele é preparado para uma batalha a ser travada no mundo dos negócios bilionários, das descobertas científicas e médicas de última geração e da espionagem industrial. Incapaz de lidar sozinho com as incertezas da história de Adrianna, que alega pertencer a outro universo, Bruno busca em seus melhores amigos do passado a força necessária. Entre sabotagens e assassinatos, amizades serão testadas, paixões nascerão e um inesperado desafio tornará a cruzada de Bruno ainda mais solitária. Pistas sobre os reais planos de Kerligan e MJ, seu braço direito, revelam uma verdade surpreendente e avassaladora. Próximo ao fim, a coragem e uma descomunal força de vontade serão as principais armas do casal de protagonistas para tentar salvar o futuro do planeta.

A originalidade presente nas páginas do livro foi o que me conquistou desde as primeiras páginas e o fato de apesar de ter um grande cunho cientifico não se torna em momento algum enfadonho.

Bruno tem cerca de 40 anos, morador de Salvador – Bahia, investidor na bolsa de valores. Ele não é um homem que tem muitas pretensões na vida, sem muitas ganâncias, até que sua vida muda completamente quando uma mulher misteriosa cruza seu caminho, Adrianna. Adrianna vem de uma dimensão paralela, de outro planeta... Aqua. E se não fosse o bastante ela injetou em Bruno um soro que faz com que suas habilidades sejam ampliadas, tornando-o assim apto a ajudá-la em sua missão na terra: Impedir que outros dominem a terra.

Conhecemos novas tecnologias, e a cada página somos apresentados a coisas que não estamos acostumados, um mundo criado especialmente para “As duas faces do destino”.

Por um ano Bruno deveria treinar para que estivesse a altura de enfrentar seus inimigos, e claro que ele conta com a ajuda de seus amigos. Apesar de saber que Adrianna veio a terra com um único intuito, ele não deixa de nutrir um sentimento muito forte por ela. Será que teremos um romance?

Apesar de o foco principal ser ficção cientifica o romance também está presente de forma natural, espontânea. 

O que mais me encanta em um autor é essa capacidade de criar e recriar, nos apresentar a mundos distintos, a personagens marcantes, a personalidades fortes e dispostas a lutar por um ideal. Não há nada no livro que não tenha me agradado, o autor sabe escrever e deixa isso bem claro durante toda a leitura, no começo temos um emaranhado de “bolsa de valores, multinacionais, investimentos” e nem mesmo com todas essas informações conseguimos deixar de ansiar a próxima página.

Esse livro é fabuloso, indico a todos que gostam de novas aventuras, de mundos diferentes, enigmas e mistérios, e claro... Muita criatividade. Uma dica: Leia com atenção e procurem absorver tudo, pois as coisas vão se conectando no decorrer da narrativa.



Resenha: O Inocente - Harlan Coben


  • Editora: Arqueiro
  • Titulo Original: The Innocent
  • Páginas: 336
  • Nota: 
  • Skoob

Ao mesmo tempo forte e avassalador, o livro traz uma história que prende irresistivelmente a atenção - ela trata das escolhas que todos nós um dia somos obrigados a fazer e como alguns erros podem mudar nossa vida para sempre. Quando jovem, Matt Hunter matou acidentalmente um rapaz quando tentava separar uma briga. Foi preso e condenado a quatro anos de prisão. Agora, ao lado da esposa Olívia, grávida de seu primeiro filho, sua vida parece tranquila, até que recebe misteriosas ligações em seu celular com câmera: imagens perturbadoras de Olívia e de um homem misterioso. Quando o sujeito morre com dois tiros no rosto, Matt passa a ser o principal suspeito não só desse homicídio, mas também de outros. Pois parece haver uma conexão macabra entre esses crimes e o passado de Matt... e o de Olívia também...

Em o Inocente conhecemos o enigmático Matt Hunter, um ex-presidiário que por acidente acabou tirando a vida de um rapaz ao tentar separar uma briga. Após quatro anos, quando Matt acredita que sua vida tenha tomado o rumo esperado e tenta de todas as formas esquecer das coisas que sofreu durante seu período na penitenciaria, tudo estaria perfeito se não fossem misteriosos torpedos que colocam a pulga atrás da orelha de Matt. Olivia, sua esposa estaria o traindo? E para completar seu martírio sua esposa que está grávida desaparece misteriosamente.

Os torpedos continham vídeos perturbadores de Olivia com um homem desconhecido e misterioso. Mas sabem o que é mais impressionante? Após um tempo esse homem aparece morto com tiros no rosto e o principal suspeito dessa morte é ninguém menos de Matt Hunter.

Qual seria a conexão entre esses personagens? Bom, confesso que o rumo toma uma proporção que eu nunca tinha imaginado. E digamos que deste ponto começa a história, o desenvolvimento é fabuloso, e a narrativa é tentadora, nem preciso descrever muito, pois é HARLAN COBEN, o mestre do suspense policial.

É impressionante o poder de nos envolver completamente na leitura que o Harlan tem, é impossível você largar o livro após algumas páginas. Somos apresentados incessantemente a novos acontecimentos e quando realmente achamos que conseguimos desvendar aquele maldito mistério, o tio Coben nos mostra que estávamos ERRADOS.

Cada pista nos é colocada de maneira que somente os mestres conseguem. Os personagens são minuciosamente criados para ser reais, para nos mostrar que suas personalidades são fortes, temos que ficar atentos a uma coisa: Nunca confie em ninguém, Harlan pode te surpreender na página seguinte.

Tudo acontece em seu determinado tempo, e conseguimos acompanhar tudo nos mínimos detalhes, nos deixando mais conectados a pistas, personagens, crimes, mistérios.

Este livro vai fazer você não conseguir largá-lo até ter desvendado todo o mistério. Preste atenção em todos os detalhes e lembre-se: Todos são suspeitos até que se prove o contrário.



Novidades Literárias

Olá lindos, como estão? Já conferiram as novidades da Arqueiro? 2014 começará com tudo.


E já viram a capa da continuação de Mago, Aprendiz? Mago, Mestre *-*




Resenha: De Coração para Coração - Lurlene McDaniel


  • Editora: Novo Conceito
  • Titulo Original: Heart to Heart
  • Nota:
  • Skoob

Da autora best-seller Lurlene McDaniel, De coração para coração fala de perdas, amor e renovação. Fala também da maneira como esses sentimentos tão complexos se entrelaçam, nos momentos mais difíceis, nas relações familiares e de amizade. Elowyn e Kassey são grandes amigas, que dividem tudo. Mas uma coisa Elowyn não contou para Kassey: ao tirar a carteira de motorista, ela marcou a opção “doadora de órgãos”. Kassey descobre esse detalhe da vida da amiga da maneira mais trágica – quando o desejo de Elowyn está prestes a ser atendido. Arabeth nunca teve a sorte de ter uma melhor amiga. Com o coração doente, ela leva uma vida protegida de tudo e de todos. Até que, aos 16 anos, recebe o telefonema que tanto esperava — mas inicialmente ela e sua mãe não sabem a quem devem agradecer. Quando os mundos dessas três meninas e de suas famílias se cruzam, suas vidas se transformam de maneira nunca imaginada. Kassey, especialmente, encara os fatos como uma forma de manter viva a memória de sua querida amiga. Ela passa a compartilhar da nova vida de Arabeth, ao mesmo tempo em que ajuda a aliviar o sofrimento da família de Elowyn e a compreender a sua própria dor.
Kassey, Elowyn, Arabeth... O que essas três garotas têm em comum?

Kassey e Elowyn são amigas há muito tempo, inseparáveis, irmãs unidas por um laço muito mais forte do que o sangue. Todavia, o destino não liga muito para essas coisas e trata de trilhar um caminho bem diferente do que as jovens amigas jamais imaginaram. Um grave acidente muda o rumo de várias vidas e Elowyn acaba falecendo, mas em sua carteira de motorista eles encontram um fato que pode mudar tudo: Elowyn é doadora de órgãos. 

Arabeth é uma jovem que não leva uma vida normal, pois para isso ela precisa de um novo coração. Quando menos espera recebe uma ligação de que um coração perfeitamente compatível está a sua espera. Cheia de felicidade Arabeth parte para cirurgia sem saber quem doou.

Kassey ficou inconformada com a partida da sua melhor amiga, mas é o momento de superar, e talvez se aproximar de Arabeth e assim ficar próxima de Elowyn de alguma forma seja a solução mais viável, será?

O livro é envolvente, com uma narrativa simples e gostosa. Só dei quatro estrelas, pois a autora pecou em algumas partes: O livro era pra ser um “drama” balanceado, e o que houve foram momentos tristes sim, mas que poderiam ter sido mais aproveitados e bem mais melodramáticos, com mais coração. Apesar de o livro ter uma mensagem linda com relação a aprender a superar, amizades verdadeiras, sofrimentos e etc. A autora não soube como levar o drama de uma forma mais verdadeira e emocionante. Os pais de Elowyn mesmo sofrendo com a morte da filha não me passaram tanta dor como realmente deveria ser. E essas partes foram corridas demais.

Porém, as partes felizes como, por exemplo, o reconhecimento e a empolgação dos pais de Arabeth em saber que sua filha terá uma nova oportunidade de levar uma vida como qualquer outra adolescente. O que eu gostei também foi a autora ter feito nos afeiçoarmos pela Elowyn nos primeiros capítulos e depois nos fazer superar sua perda, junto com a Kassey.

Em suma é um bom livro que poderia sem dúvidas ser melhor. 

Resenha: Cartas para um pai - Janaina Rico


  • Editora: Modo
  • Páginas: 200
  • Nota: 
  • Skoob

Juliana achou que suas férias em João Pessoa renderiam apenas fotos e boas lembranças, mas não foi assim que as coisas se desenrolaram. Uma gravidez inesperada alterou toda a sua vida e, para se comunicar com o pai do bebê, as cartas foram a melhor escolha. Um livro emocionante e envolvente, sobre amores e a formação de uma nova vida.






Em Cartas para um pai conhecemos a história da Juliana, 22 anos, Brasiliense, estudante de Secretariado Executivo e funcionaria em uma empresa. Ao chegar suas Férias, Juliana decide que merece um descanso longe da agitada Brasília, então escolhe seu destino e segue em rumo a João Pessoa para trinta dias de paz, sossego e muita praia. Ao chegar a João Pessoa ela conhece um universitário chamado Anderson. A química entre eles é indiscutível e eles não resistem um ao outro. Durante os 30 dias que ela passa na Paraíba, eles ficam juntos, desfrutando da companhia um do outro e se amando loucamente. Mas como tudo que é bom dura pouco, os 30 dias passaram voando e logo Juliana teve que voltar a sua turbulenta rotina em Brasília.

Todo mundinho perfeito que ela havia projetado desaba ao descobrir uma gravidez não planejada, sozinha e sem apoio ela precisa se superar e dar a volta por cima. Como Anderson mora longe ela realmente não tem apoio de um homem que a console e cuide dos momentos mais precários de uma gravidez. Muito confusa com a situação ela não sabe se realmente deve contar aos seus pais o que está acontecendo, durante os primeiros meses da gravidez ela mantém tudo em sigilo completo, e sofre sozinha. Seu único consolo é mandar cartas para um pai, o pai do seu filho. Ao descobrir a gravidez, Anderson não encara numa boa e acaba sendo grosso com ela, porém depois se retrata.

Apesar de o livro ser fino, com poucas páginas, a narrativa é intensa e as constantes mudanças de humor da Juliana por causa da gravidez, afetam de maneira drástica o leitor, algumas tiradas sarcásticas nos fazem rir, porém o drama de agüentar uma gravidez e ser responsável por uma outra vida sem ajuda e apoio de alguém é duro, e acabamos nos comovendo com a história. Juliana é uma mulher antenada e vive conectada a internet, onde usa o e-mail constantemente para expressar seus sentimentos e angustias para Anderson. Alguns e-mails são muito engraçados, outros são extremamente tristes. Qualquer dúvida que ela tem com relação ao bebê, ela corre e joga na internet, e isso a deixa um tanto quanto paranóica, demora um pouquinho para a ficha cair e ela se tocar que agora é responsável por duas vidas, e que aquele serzinho dentro da sua barriga está vivo e crescendo a todo momento, quanto ela finalmente se dá conta disso, começa a chamá-lo de “alien” seu pequeno alien. Algumas pessoas podem até achar chato, feio e grosseiro uma mãe chamar seu filho em formação de alien, porém eu encarei tudo como uma forma descontraída de uma mãe inexperiente para superar seus medos e se acostumar com a pequena vida que está a caminho.

Eu sei que é difícil largar a sua vida e sair do seu estado, mas o Anderson para mim se mostrou super indiferente, apesar de aceitar a gravidez, e querer participar da vida da criança. Pense comigo, principalmente você que é mãe ou pai. O que você faria por um filho? Além do mais, Juliana nutriu um amor incondicional por Anderson, mas em nenhum momento ele mostrou ser recíproco, pois ela passou por momentos difíceis, muito difíceis sozinha, e quem disse que ele saiu da Paraíba para Brasilia para ajudá-la a superar isso? Isso é amor? Para mim não, portanto Anderson foi um personagem que me deixou irritada e enojada.

Alguns pontos negativos do livro: O Final! Definitivamente eu esperava mais do final, não que ele tenha sido ruim, simplesmente acabou em um momento que não deveria ter acabado. Imaginem-se assistindo aquele filme maravilhoso quando de repente no desenrolar dos fatos, falta energia e puf, você fica com várias dúvidas sem respostas na sua mente, e elas ficam pairando, pairando, pairando.

O livro é composto por cartas, e diálogos são extremamente raros, porém em nenhum momento isso me cansou, pois o enredo se mostrou tão envolvente que os diálogos nem foram necessários. Fofo, engraçado e emocionante, em Cartas para um pai você consegue sentir-se grávida sem nem precisar carregar um bebê por nove meses.
Fonte: http://princesa-descolada-myla.blogspot.com/2013/03/paginacao-numerada.html#ixzz2j39CpByO