Lançamentos Fevereiro.

Oi gente, tudo bom? Vim mostrar para vocês os lançamentos da Arqueiro, Sextante e Saída de Emergência *-* Vamos conferir?



Para conferir todos os lançamentos faça o download do pdf com todas as informações clicando Aqui.

Papel em Branco - Francinete Braga Santos



Com este livro, eu, uma nordestina de São Luís do Maranhão, saio do anonimato para me inserir no cenário nacional, por meio da palavra escrita e independente. Sinto-me representante do chão tão sofrido e marcado pelas maldades dos homens que ainda permitem o analfabetismo, a fome, a subserviência numa alegria midiática de um povo, muitas vezes, pintado com cores folclóricas e que, por isso, não expressa a necessária resistência e peleja por mais justiça e equidade social no Nordeste brasileiro. Assim, escrevo como professora nordestina que ama e chora, dorme e brinca, sonha e padece na luta diária por mais comida, que não seja apenas pão, mas saúde, educação, corpos vivos e nutridos de felicidade. Sou, ainda, um eu contemplativo diante de um papel em branco silencioso e comunicativo na imensa expressividade de calar. Sou fragmentos da crise da não escrita escondida num eu cheio de palavras efêmeras, ligeiramente rabiscadas em forma de sílabas e palavras, e depois alinhavadas num pedaço de papel. Enfim, espero uma comunicação com meu leitor por meio da leitura destes escritos, um após outro, na ousadia de fazer um livro. Que este eu lírico se faça poeta, expressando sentimentos intensos da realidade, “tratando-se então de não ser seu ‘eu’ real, mas um ‘eu’ poético, ou lírico”.

Oi gente, tudo bom? Antes de tudo quero esclarecer que isso aqui não é uma resenha, uma vez que ainda não estou apta a resenhar livros de poesia. Mas sim, uma indicação para aqueles que gostam de ler belos textos escritos por brasileiros, que a cada dia nos mostram que realmente tem muito talento a oferecer.

Recebi esse livro através de um amigo: Mário Henrique. Já que o mesmo foi escrito pela sua mãe, Francinete Braga Santos. Antes de mais nada vamos conhecer um pouco sobre a Francinete.


"Foi no Maranhão, em Chapadinha, que nasci em 1967. E ainda guardo na lembrança, quando com 6 anos, vim de caminhão com a família para a ilha de São Luís. Em 1984, com 16 anos, tornaram-me uma professora. Por isso, com 18 anos conclui o curso para o magistério, e, anos mais tarde, no ensino fundamental passei a dedicar-me ao ensino da Língua Portuguesa. Atualmente, sou pedagoga, especialista em psicopedagogia, administração escolar, informática na educação, ciências da educação e graduanda em Letras. Por esta razão, o provável acúmulo de tempo e experiência, fez surgir o primeiro livro Calidoscópio: ranhuras, sussurros e outros sentidos; e do espaço para publicações e parcerias com alunos, no: www.franbraga.com.br\calidoscopio
Desse modo, a escrita é parte do meu ofício e, dos livros, meios de comunicação, em prosa e verso."



“A poesia é como uma máscara. Muitos são capazes de enxergar sua beleza, mas poucos têm a oportunidade de ver o que está por trás.”

Acho que deu pra perceber o quanto a Francinete escreve bem, ao abrir o livro fui simplesmente sugada para tanto talento, fiquei boquiaberta com os poemas simples e tocantes. Ao ler podemos absorver toda a maturidade dos versos, e isso me deixou muito encantada, tirei duas fotos de dois dos poemas que eu mais gostei.


Outro ponto que me deixou extasiada, foi abrir o livro e encontrar diversos poemas sobre leitura, expressando tudo que nós sentimos - porém, alguns de nós, assim como eu não conseguem colocar no papel com tanta maestria. 


Bom né? Vocês precisam ler o restante *-* é de ficar horas e horas relendo e pensando: Foi escrito para mim. Fora que o livro tem poemas de diversos temas, certeza que você vai se identificar com algum deles. E quem estiver interessado em saber mais pode entrar em contato com o Mário ou com a própria Francinete pelo facebook.

E pode também passar aqui no Grupo Editorial Scortecci e ler mais e não esqueçam de dar uma olhadinha no Skoob.

Sobre Filmes #2


Oi gente, tudo bom? Hoje trouxe uma lista de 5 filmes de terror que vocês deveriam assistir. Fiz essa lista baseada em minha experiencia com filmes de terror - hahaha - portanto, é baseado em meu gosto. Digam-me se já assistiram algum, e se gostaram, ok? 

Sorteio no Facebook


Oi gente, estou passando rapidinho para avisar a vocês que está rolando um sorteio do livro "Claro que te amo - Thammy Luciano" no facebook, e para participar está super fácil.

Clique aqui e participe!

Os melhores Sick-Lits



Olá gente, como estão? Hoje eu queria dividir com vocês os melhores Sick-Lits que li em 2013. Acho que todos aqui sabem do que se tratam os Sick-Lit, mas de qualquer forma vale ressaltar.

Sick em inglês significa Doente, em uma tradução podemos chamar de "Literatura Enferma" ou "Literatura de Doença". O Termo Sick-Lit é derivado de "Chick-Lit , Literatura de Mulherzinha". Um gênero voltado a coisas "negativas", carregado de realidade e emoção... E o gênero também aborda temas complexos como câncer, depressão, suicídio, bullying, transtornos psicológicos e obsessivos - e também doenças e limitações físicas.

O que eu mais gosto nesse gênero é a simplicidade e a veracidade que encontramos nas páginas, pois somos jogados a assuntos reais, é como um choque de realidade que é muito interessante nos dias de hoje, onde somos cercados por literatura fantasiosa e idealista - não que eu não goste desse tipo de literatura.

Vamos a listinha com os melhores. Não irei falar sobre a história de cada livro, vou simplesmente comentar o que achei e deixar o link para as resenhas, caso alguém se interesse na história.

Resenha: O Caçador de Pipas - Khaled Hosseini


  • Editora: Globo Livros
  • Páginas: 368
  • Nota: 
  • Skoob

Publicado em mais de 70 países e com a marca de mais de 2 milhões de exemplares vendidos apenas no Brasil, o aclamado livro O caçador de pipas, romance de estreia de Khaled Hosseini, está de volta em nova edição. O romance narra a tocante história da amizade entre Amir e Hassan, dois meninos que vivem no Afeganistão da década de 1970. Durante um campeonato de pipas, Amir perde a chance de defender Hassan, num episódio que marca a vida dos dois amigos para sempre. Vinte anos mais tarde, quando Amir está estabelecido nos Estados Unidos, após ter abandonado um Afeganistão tomado pelos soviéticos, ele retorna a seu país de origem e é obrigado a acertar as contas com o passado. Transformado em filme em 2007 pelo diretor Marc Forster, o romance há 10 anos emociona leitores de todo o mundo. A nova edição publicada pela Globo Livros traz um prefácio especial do autor, no qual ele fala sobre a semelhança entre a ficção de O caçador de pipas e sua própria realidade — depois de 27 anos exilado nos Estados Unidos, e já tendo concluído seu primeiro romance, Khaled Hosseini retornou a Cabul e passou por algumas das mesmas experiências vividas pelo personagem Amir ao regressar a sua cidade natal. A edição também conta com nova tradução, de Claudio Carina, e nova capa, assinada por Victor Burton. Representante da Organização das Nações Unidas desde 2006, Hosseini faz dos seus livros não apenas uma narrativa sensível e encantadora, mas também um canal de denúncia, desabafo e engajamento social necessário para o debate de grandes questões morais e humanitárias que afetam o século XXI.

Em O Caçador de Pipas temos duas realidades diferentes: Amir e Hassan. Que de uma certa forma se completam.

Amir é um Pachtun* (Um grupo etnolinguístico localizado principalmente no leste e no sul do Afeganistão e, no Paquistão, nas províncias da Fronteira Noroeste e do Baluchistão e nas áreas tribais administradas pelo governo federal. Os pachtuns caracterizam-se pela sua língua (o pachto), pelo seu código de honra religioso pré-islâmico e pela prática do islã), Amir é rico e conhecido por ser covarde e muito egoísta. 

Hassan é um Hazara* (Os hazaras são um povo de origem mongol que residem principalmente na região central do Afeganistão conhecida como Hazarajat. Quando Gengis Khan, o poderoso líder dos mongóis, enviou seus embaixadores à Ásia Central, eles não foram bem recebidos, então, Gengis Khan juntamente com seu exército mongol invadiram a Ásia Central e durante o século XIII irromperam no centro do Afeganistão, construíram uma guarnição e subjugaram os habitantes. Os hazaras dizem-se descendentes dos soldados mongóis que se estabeleceram na Ásia central e descendentes inclusive de seu líder, Gengis Khan. Com seus olhos amendoados, a pele de tonalidade mais clara que a etnia predominante afegã e as maçãs do rosto bem acentuadas, eles lembram os mongóis.), apesar de ser humilde ele é conhecido por sua integridade e coragem.

*Trechos retirados do wikipédia*



Apesar de todas as diferenças entre ambos eles são amigos, até que em 1975 em um campeonato de Pipas tudo mudou entre eles. Anos depois quando a guerra do Afeganistão acontece, Amir vai embora pros Estados Unidos tentando esquecer seu passado, até que por ironia do destino o passo bate a sua porta.

O livro é cheio de tragédias, ficamos pensando como a vida pode ser tão dura com alguém. O autor escreve muito bem e nos deixa estupefatos com os acontecimentos. Além de muito emocionados, claro. A Guerra é apenas um pretexto para nos apresentar uma história cheia de mensagens sobre amizade, perdão, arrependimento...

O típico livro que faz você pensar na maldade, na injustiça, nas mentiras, te faz questionar até onde o ser humano consegue chegar, Mas, também conhecemos o outro lado, aquele justo, que perdoa, que aceita, que ama... Enfim, esse livro é maravilhoso, não tenho palavras para expressar os sentimentos nele contidos, não se deixe levar pela “Guerra”, ele vai muito além do que isso, e merece ser lido por todos.

O filme em si não tem a mesma emoção que o livro possui, toda a beleza contida nas páginas nos mostra a verdadeira essência de O Caçador de Pipas. Mas, esteja preparado, o livro tem cenas que vão arrebatar seu coração e fazer você se emocionar até não poder mais.


Livros de Cada Signo



Oi gente, vi um post no blog Astrologia da Paula e resolvi trazer aqui pra vocês, o blog é de Portugal então os signos estavam com outros nomes, Áries: Caranguejo, Câncer: Carneiro... E por ai vai. No post conhecemos os livros de cada signo, quem acredita nessas coisas? Então confere abaixo a listinha.


Áries:
Os Arianos são aventureiros, românticos e muito ligados em mitos e heróis antigos. Guerras, lutas entre classes, uniformes, exércitos, mas também lutas e aventura fazem parte de seu repertório. Livros recomendados: O Ladrão de Raios, Senhor dos anéis, Jogos vorazes, Assassin´s Creed.


Touro:
Os Taurinos são românticos e sensuais, mas também possuem um sentido bastante apurado. A sensualidade do amor romântico, da luta pela sobrevivência e do amor pela sensualidade que o sentido do paladar possui, que são próprias desse signo, podem ser encontradas nos livros "Comer, orar e amar", "O milagre" e "A última música".


Gêmeos:
O alegre, muitas vezes engraçado, extrovertido, divertido e por vezes sedutoramente irresponsável geminiano pode ser caracterizado inconsequência em sua personalidade. Livros de comédia indicados: As mentiras que os homens contam, Diário de um magro e Diário de Bridget Jones. A seriedade geminiana da necessidade da boa comunicação e as dificuldades emocionais que envolvem essa capacidade encontramos no livro "O Discurso do Rei". O lado extremamente envolvido nas relações sociais, ascensão, amizades e comunicação podem ser vistos na coleção Gossip girl.


Câncer:
O romantismo excessivo e muitas vezes um pouco fora da realidade crua em que vivemos, a busca do amor de sua vida, o encontro perfeito carregado de um amor cuidadoso e até meio excessivo é uma das características das pessoas de Câncer. Podemos encontrar essa característica nos livros "Diário de uma paixão" e "Querido John" do Nicholas Sparks. A dramatização das situações e o amor sacrificado também fazem parte do romantismo desse signo e é bem caracterizado no filme "P. S. I love you".


Leão:
O autoritarismo e a ambição, a moda e a elegância, a necessidade do luxo e do sucesso, assim como a extravagância e o glamour que fazem parte desse signo estão muito bem caracterizados no livro "O Diabo Veste Prada". O lado apaixonado do leonino é mostrado em livros como "A menina que roubava livros" e a saga "Crepúsculo". Podemos encontrar Leão também em livros de guerra e paixão, mas também em cenas fortes e apaixonantes como "Memórias de uma Gueixa".


Virgem:
A maioria dos virginianos é obsessiva e perfeccionista seja pelo que for. Uns pela ordem, outros pelo trabalho, outros por uma rotina fechada e organizada. Livros que retratam a determinação e a paciência de uma rotina difícil para conseguir atingir uma meta. Livros indicados: "A cidade do sol", "O caçador de pipas" e "Água para elefantes".


Libra:
Os Librianos tem necessidade de participar da vida social e cultural, especialmente no meio artístico. O amor e a necessidade de se relacionar, a simpatia que tem pelo casamento e o romantismo equilibrado e racionalizado que é mostrado nos livros "Cartas para Julieta", a "Última música" e "Para sempre".


Escorpião:
Os livros densos, que abordam emoções profundas como o livro "A cabana" tratam muito bem a sombra escorpiana. Assim como paixões incontroláveis misturadas a mistérios e a finais não óbvios. Gostam de livros instigantes que lhe despertem a atenção e que o prendam até o final. Livros como: "A menina que roubava livros", "O morro dos ventos uivantes" e o "Guardião de memórias".


Sagitário:O alegre e aventureiro sagitariano pode ser encontrado em vários livros. O sentido de liberdade e aventureiro pode ser observado em livros como "Crônicas de Nárnia" e "Jogos Vorazes". Os épicos místicos e modernos como "Senhor dos Anéis" e "Harry Potter" também podem mostrar o lado aventureiro, filosófico, idealista e fantasioso das pessoas desse signo.


Capricórnio:
Os filmes que caracterizam as pessoas de Capricórnio devem necessariamente ser ligados à saga determinada de ascensão ao poder, como o livro o "Poder e a lei". A biografia de Steve Jobs e o livro Bilionários por acaso (que conta sobre a criação do facebook) também retrata essa luta pela vida e a facilidade em fazer de tudo o que for preciso para atingir o que se acredita e deseja.


Aquário:
Aquarianos podem ser retratados em filmes que fazem pensar de uma maneira moderna e cientifica que tragam aventura e ficção, e a capacidade de reflexão além de seu tempo que toda pessoa de Aquário possui. Livros indicados: "As Crônicas de Gelo e Fogo", "Senhor dos anéis", "O Ladrão de Raios" e "Infinito".


Peixes:
O signo mais romântico e místico do zodíaco pode ser facilmente retratado por livros de romance, principalmente aqueles onde o amor é vivido de maneira dramática, seguido de perda que na verdade não se concretiza nem com a morte. Um amor que continua mesmo que seja depois da morte pode ser uma fantasia secreta de toda pessoa de Peixes. Ou o romance vivido através do tempo que nasce e renasce mesmo em tempo e dimensões diferentes. Livros indicados: "Diário de uma paixão", "O melhor de mim", e "Um homem de sorte".

Resenha: Seis Coisas Impossíveis - Fiona Wood


  • Editora: Novo Conceito
  • Páginas: 272
  • Nota: 
  • Skoob

Dan Cereill levou um encontrão da vida: seu pai faliu, assumiu que é gay e separou-se de sua mãe, tudo de uma vez só. Enquanto isso, sua mãe recebeu de herança uma casa tombada pelo patrimônio histórico que cheira a xixi de cachorro, mas que não pode ser reformada... E, agora, Dan está vivendo em uma casa-relíquia que parece um chiqueiro, com uma mãe supertriste e sem conseguir falar com o pai — que ele ama muito. Suas únicas distrações são sua vizinha perfeita, Estelle, e uma lista de coisas impossíveis de fazer, como: 1. Beijar a garota. 2. Arrumar um emprego. 3. Dar uma animada na mãe. 4. Tentar não ser um nerd completo. 5. Falar com o pai quando ele liga. 6. Descobrir como ser bom e não sair abandonando os outros por aí... Mas impossível mesmo será: 1. Não torcer para que Dan supere seus problemas. 2. Não rir muito com os devaneios dele. 3. Não querer ter um cachorrinho como Howard. 4. Não desejar que a mãe de Dan encontre a felicidade. 5. Parar de ler este livro. 6. Não querer abraçar o livro depois de tê-lo terminado...



Dan Cereill é nosso protagonista, um garoto de 14 anos que vem passando por diversos problemas na sua vida, seu pai assumiu ser homossexual, eles estão falidos, ele é apaixonado pela vizinha que nem se quer sabe de sua existência, seus pais se separaram após a revelação bombástica.

O livro tinha tudo para ser ótimo, se a autora soubesse como aproveitar toda essa vibe ai de cima, mas o que conseguimos foi uma tentativa forçada de entretenimento, entenda bem, não sou ninguém para dizer que a autora não soube como lidar com sua história, simplesmente acredito que ele levou para um rumo desinteressante.

Dan tem uma lista de seis coisas que ele julga serem impossíveis de ser feitas. Essas são:

1. Beijar a garota.
2. Arrumar um emprego.
3. Dar uma animada na mãe.
4. Tentar não ser um nerd completo.
5. Falar com o pai quando ele liga.
6. Descobrir como ser bom e não sair abandonando os outros por aí...

Ok, ele é um garoto de 14 anos, não posso esperar que ele tenha uma lista com 6 coisas para mudar o mundo, mas ao menos eu esperava que o livro fosse engraçado, pois existem também seis coisas impossíveis do leitor fazer ao ler este livro:

1. Não torcer para que Dan supere seus problemas.
2. Não rir muito com os devaneios dele.
3. Não querer ter um cachorrinho como Howard.
4. Não desejar que a mãe de Dan encontre a felicidade.
5. Parar de ler este livro.
6. Não querer abraçar o livro depois de tê-lo terminado...

E sinceramente, não aconteceu nenhuma comigo – exceto a do Howard. Primeiro que o Dan não é engraçado, só pra começar, seus devaneios são completamente comuns perto de todos os adolescentes do mundo, com a única diferença de estar tentando superar estar falido. O principal fator que me fez não gostar do livro foi todo o alvoroço e a sensação de que a autora quer nos forçar a ter pena do Dan por ter falido, por seu pai ser gay e pela garota que ele gosta nem saber que ele existe.

Não quero dar uma de falsa moralista, mas EXISTEM COISAS MAIS IMPORTANTES DO QUE FICAR BOLADO POR ISSO. Ok Kéziah, mas ele tem apenas 14 anos.

Fiona tinha tudo para escrever um bom livro, mas ao que tudo indica se contentou com um livro "meia boca" que não tem emoção, não tem desenvolvimento, o próprio Dan não amadurece durante a leitura, nem com todo o sofrimento em descobrir que seu pai é gay, toda a aprovação após a família estar falida, a mãe com depressão pois seu marido os deixou e blá blá blá. NADA muda no decorrer do livro, apenas uma sucessão de fatos super boring, e com um final completamente previsível e sem graça.

Então lá vai: A história é sem graça e o livro não é divertido, pelo contrario, demorei horrores para terminar de ler. PONTO!

Lembrando que esta é apenas minha opinião, não deixe de ler o livro levando em consideração a resenha – desabafo – acima.

Resenha: De Repente, O Destino - Susan Fox


  • Editora: ÚNICA 
  • Páginas: 384
  • Nota: 
  • Skoob

Quando o destino age a favor do amor, não há como resistir!A vida de Theresa Fallon sempre foi cercada de estudo e teses, afinal, ela é o gênio da família e se orgulha disso. Mas o destino... ah, o destino! Voltando da Austrália para o Canadá para o casamento de sua irmã mais nova, Theresa conhece Damien Black, um homem elegante e extremamente sedutor. Apesar de sua personalidade um tanto arrogante negar a atração, existe algo nele que faz com que ela queira se entregar totalmente.

Damien já está cansado de ser assediado por mulheres. Escritor de sucesso e incrivelmente sexy, ele não precisa se esforçar muito na área da conquista feminina. Quando conhece Theresa, o jogo da conquista se torna realmente tentador e ele usará seus dotes para conquistá-la. Será um longo voo. E nessas horas eles terão tempo suficiente para aproveitar essa brincadeira do destino.

Terceiro livro publicado no Brasil, porém este é o primeiro da série, portanto quem quiser ler na ordem, comece por aqui. A série é composta por 4 livros, cada um contando as aventuras de cada irmã Fallon, movidas no intuito de criar uma super festa de casamento para a irmã mas nova. Porém, os planos de se dedicar estritamente a festa muda quando elas encontram um – maravilhoso – homem. Li dois livros da série e aconteceu exatamente igual, com o diferencial do lugar, história e personagens.

Em de repente, o destino conhecemos Damien e Theresa, dois até então desconhecidos que tem o mesmo vôo da Austrália ao Canadá. Austrália e Canadá, duas vidas, dois sonhos, duas metas e um único destino.

Damien Black, Australiano, autor de mistérios paranormais, um dos solteiros mais sexys da Austrália, pode ter todas as mulheres babando aos seus pés, mas adivinha por quem ele se interessa?

Theresa Fallon, Canadense, Socióloga e Professora em uma universidade, Theresa é extremamente séria, racional, descrente e mal-humorada.

Durante o vôo eles têm a oportunidade de se conhecerem melhor, porém o começo não foi tão fácil, Theresa não gosta dos livros de Damien – e essas partes são bem engraçadas. Apesar de o livro ser “erótico” me surpreendeu com relação ao enredo criado, temos muita conversa, afinidade e claro uma química irresistível.

Novamente Susan me surpreendeu com a história, com o amadurecimento dos personagens, com o desenvolver, com tudo.

Dos dois que li esse sem dúvidas foi o mais “safadenho”, pois os protagonistas estão dentro de um avião em direção ao Canadá. E apesar disso o livro tem seu lado mais fofo e esse lado me conquistou, ambos tem problemas em se relacionar e juntos vão conseguindo superar esses medos, e acabam se envolvendo e se entregando para o destino.
Fonte: http://princesa-descolada-myla.blogspot.com/2013/03/paginacao-numerada.html#ixzz2j39CpByO