Resenha: O Caçador de Pipas - Khaled Hosseini


  • Editora: Globo Livros
  • Páginas: 368
  • Nota: 
  • Skoob

Publicado em mais de 70 países e com a marca de mais de 2 milhões de exemplares vendidos apenas no Brasil, o aclamado livro O caçador de pipas, romance de estreia de Khaled Hosseini, está de volta em nova edição. O romance narra a tocante história da amizade entre Amir e Hassan, dois meninos que vivem no Afeganistão da década de 1970. Durante um campeonato de pipas, Amir perde a chance de defender Hassan, num episódio que marca a vida dos dois amigos para sempre. Vinte anos mais tarde, quando Amir está estabelecido nos Estados Unidos, após ter abandonado um Afeganistão tomado pelos soviéticos, ele retorna a seu país de origem e é obrigado a acertar as contas com o passado. Transformado em filme em 2007 pelo diretor Marc Forster, o romance há 10 anos emociona leitores de todo o mundo. A nova edição publicada pela Globo Livros traz um prefácio especial do autor, no qual ele fala sobre a semelhança entre a ficção de O caçador de pipas e sua própria realidade — depois de 27 anos exilado nos Estados Unidos, e já tendo concluído seu primeiro romance, Khaled Hosseini retornou a Cabul e passou por algumas das mesmas experiências vividas pelo personagem Amir ao regressar a sua cidade natal. A edição também conta com nova tradução, de Claudio Carina, e nova capa, assinada por Victor Burton. Representante da Organização das Nações Unidas desde 2006, Hosseini faz dos seus livros não apenas uma narrativa sensível e encantadora, mas também um canal de denúncia, desabafo e engajamento social necessário para o debate de grandes questões morais e humanitárias que afetam o século XXI.

Em O Caçador de Pipas temos duas realidades diferentes: Amir e Hassan. Que de uma certa forma se completam.

Amir é um Pachtun* (Um grupo etnolinguístico localizado principalmente no leste e no sul do Afeganistão e, no Paquistão, nas províncias da Fronteira Noroeste e do Baluchistão e nas áreas tribais administradas pelo governo federal. Os pachtuns caracterizam-se pela sua língua (o pachto), pelo seu código de honra religioso pré-islâmico e pela prática do islã), Amir é rico e conhecido por ser covarde e muito egoísta. 

Hassan é um Hazara* (Os hazaras são um povo de origem mongol que residem principalmente na região central do Afeganistão conhecida como Hazarajat. Quando Gengis Khan, o poderoso líder dos mongóis, enviou seus embaixadores à Ásia Central, eles não foram bem recebidos, então, Gengis Khan juntamente com seu exército mongol invadiram a Ásia Central e durante o século XIII irromperam no centro do Afeganistão, construíram uma guarnição e subjugaram os habitantes. Os hazaras dizem-se descendentes dos soldados mongóis que se estabeleceram na Ásia central e descendentes inclusive de seu líder, Gengis Khan. Com seus olhos amendoados, a pele de tonalidade mais clara que a etnia predominante afegã e as maçãs do rosto bem acentuadas, eles lembram os mongóis.), apesar de ser humilde ele é conhecido por sua integridade e coragem.

*Trechos retirados do wikipédia*



Apesar de todas as diferenças entre ambos eles são amigos, até que em 1975 em um campeonato de Pipas tudo mudou entre eles. Anos depois quando a guerra do Afeganistão acontece, Amir vai embora pros Estados Unidos tentando esquecer seu passado, até que por ironia do destino o passo bate a sua porta.

O livro é cheio de tragédias, ficamos pensando como a vida pode ser tão dura com alguém. O autor escreve muito bem e nos deixa estupefatos com os acontecimentos. Além de muito emocionados, claro. A Guerra é apenas um pretexto para nos apresentar uma história cheia de mensagens sobre amizade, perdão, arrependimento...

O típico livro que faz você pensar na maldade, na injustiça, nas mentiras, te faz questionar até onde o ser humano consegue chegar, Mas, também conhecemos o outro lado, aquele justo, que perdoa, que aceita, que ama... Enfim, esse livro é maravilhoso, não tenho palavras para expressar os sentimentos nele contidos, não se deixe levar pela “Guerra”, ele vai muito além do que isso, e merece ser lido por todos.

O filme em si não tem a mesma emoção que o livro possui, toda a beleza contida nas páginas nos mostra a verdadeira essência de O Caçador de Pipas. Mas, esteja preparado, o livro tem cenas que vão arrebatar seu coração e fazer você se emocionar até não poder mais.


24 comentários:

  1. senti tanta indignação ao ler esse livro... um misto de tristeza e raiva...
    uma das obras mais doloridas que já li... é emocionante...

    http://torporniilista.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. gente todo mundo fala mega bem desse livro, eu sou doida pra ler, mas com o tempo foi passando a vontade. um dia eu ainda vou ler, mas to fugindo de livro assim, pq tenho certeza q vou chorar.

    ResponderExcluir
  3. Você descreveu muito bem este livro em sua resenha: ele é maravilhoso! Confesso que foi uma leitura que me tirou da minha zona de conforto, mas, que acrescentou tanto para mim que se tornou um de meus livros favoritos. Depois de ler este livro fiquei louca para ler O livreiro de Cabul.. Você já leu? Ótima resenha ^^

    Beijos
    Polly
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  4. Oie :)

    Comprei esse livro semana passada e já estou louco para ler, ainda mais depois que eu li sua resenha. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Comcei a ler esse livro, mas como estava numa semana bem corrida na faculdade, acabei deixando ele de lado e devolvi pra minha amiga. Não sabia que era um livro tão emocionante, qualquer hora tenho que pegar emprestado de volta kk

    beeijos
    quenerdissealice.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Eu amei este livro. A autor escreve tão bem, estou louco para ler outros titulos dele, como "A Cidade do Sol", "O Silêncio das Montanhas"...

    http://momentoliterario1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Alguns anos atrás minha tia narrou a história de O caçador de pipas pra mim num almoço de domingo, ela o fez chorando, tanto foi a emoção que ela sentiu ao ler essa obra. Alguns meses depois eu mesma tive o prazer de ler o livro e chorei muito também, fiquei marcada pela escreta de Khaled desde então.
    Agora a nossa querida Globo livros lança novamente essa obra com tal requinte que terei de ler e ter um exemplar na minha estante.
    Amei sua resenha Kéziah e os adendos que você colocou para nos explicar os detalhes foi tudo, parabéns.

    Beijão
    Vivi
    RR

    ResponderExcluir
  8. Comecei a ler esse livro, mas era emprestado e tive que devolver sem terminar... hehe... Mas agora tenho meu exemplar e pretendo ler logo, principalmente depois de ler sua resenha e saber que ele emociona tanto assim, e que faz refletir sobre temas tão importantes. Adoro livros que arrebatam meu coração!! *-*

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  9. Oi flor!
    Só vejo resenhas positivas desse livro. Necessito ler urgentemente!!
    Adorei a resenha :)
    Bjokas

    Samy
    http://livroscomresenhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi,
    Muito legal sua resenha e os comentários todos positivos com certeza irei ler esse livro, haha só não sei quando, tô tão ocupado! Parabéns pelo post!

    http://fevereira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá, adorei sua resenha!
    Confesso que sempre quis ler esse livro, mas mesmo assim sempre fiquei meio "com um pé atrás" por não ter certeza se iria gostar. Porém, vou lê-lo em breve, principalmente porque gosto de livros que são capazes de nos emocionar. *--*
    Beijos, Lery.
    lerissakunzler.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Linda resenha!

    Vc fez eu me arrepender de ter trocado esse livro! Eu tinha ele e acabei vendo o filme antes de ler, achei ele pesado e imaginei que o livro deveria ser 100 vezes mais e acabei trocando!

    Mas eu goste dessa emoção que vc descreveu!
    Poxa quando poder ler de novo, eu vou!
    beijos
    http://overdoselite.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Olá amiga!
    Já tive a oportunidade de ler esse livro! É muito emocionante a história desses dois amigos!
    Mas Amir sacaneou muito o Hassan, teve uma parte do livro que morri de raiva dele, mas no final fez algo que prestasse!
    Amei sua resenha!
    Beijinhos

    As Leituras da Mila

    ResponderExcluir
  14. Oi Flor,

    Na época em que era uma verdadeira febre a leitura desse livro, fiquei sabendo que era muito triste, que você chora muito e tal, então como muitos já sabem, costumo não ler livros que eu sei que é triste demais, porque eu sofro muuuuuuuto.

    Gostei muito de ler sua resenha e tenho quase certeza que não lerei o Caçador de Pipas.

    Bjs
    Tânia Bueno
    http://facesdaleiturataniabueno.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Aaaaaaaaaaaamo esse livro. Foi um dos melhores livros da vida!! Adorei a forma como você descreveu, me deu uma nostalgia muito grande porque faz muitos anos que eu li O Caçador de Pipas então estou precisando reler <33
    Beijos

    www.centraldaleiturablog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Oieee, então, eu já vi o filme e me emocionei bastante, achei o filme muito lindo e tenho muita vontade de ler o livro haha, minha mae ja leu e disse que é perfeito, estou com muita vontade de ler ele haha
    Abraços

    ResponderExcluir
  17. Oi Késiah,
    tudo bem?
    Eu nunca vi o filme e nem li o livro. Mas todos comentam sobre essa história. Fiquei triste, ele não defendeu o amigo, e estou aqui imaginando que não era uma situação de criança, banal. Já posso concluir pelo cenário que era uma questão importante que trouxe sérias consequências.
    Acho que só por aí já chamou minha atenção.
    me pergunto, porque ainda não li esse livro?
    Beijinhos.
    cila-leitora voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Que resenha maravilhosa, Kéeh! Me lembrei duma pregação no culto da igreja ontem em que o pastor contava duma cativa de Naamã que mesmo sequestrada de seus pais e país, vê seu sequestrador com lepra e o alerta para conhecer a Deus. É uma forma de perdoar e amar o próximo. Essa nova capa da Globo ficou linda!!
    E falando do filme, lembro de já ter assistido só que me recordo de poucas cenas...
    Beijo
    Gabriel - Blog Corações de Neve

    ResponderExcluir
  19. Eu assisti o filme logo que lançou. Não no cinema, e agradeço muito por não ter visto lá, pois tenho certeza de que morreria de tanto chorar. Foi o filme mais tocante e emocionante que já havia visto (tirando meus maravilhosos HP <3). E tenho certeza que não tenho o corpo e a mente preparados para ler o livro. Não ainda. Talvez um dia, eu espero, superar meu medo e enfrentar de cabeça erguida a realidade cruel que o livro nos mostra.

    Beijo,
    Pamela

    http://odiariodoleitor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  20. Oi Keziah.
    Eu não li esse livro, mas assisti o filme, que estava na minha watchlist de 2013, e achei a história bem tocante, mas no fundo senti falta de mais emoção, mas pela sua resenha isso não falta no livro,
    Quero e preciso muito conhecer a essência de O Caçador de Pipas através do livro.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  21. Li esse livro alguns anos atrás, e me emocionei muito. Me tocou profundamente, e me fez pensar em várias coisas. Khaled é um excelente escritor, e com certeza pretendo ler outros livros dele, em breve.
    Só não gostei muito dessa capa nova, mas nada tira o brilho do livro!

    ResponderExcluir
  22. Livro excelente. Dois meninos, criados juntos, na mesma casa, mas realidades diferentes. Como a cultura e a religião se impõem tão forte em regiões tão pobres e vulneráveis. Vale a pena ler. Gostei muito.

    ResponderExcluir
  23. Realmente o livro é bem melhor ! Amei o livro e quando vi o filme (loquei) tava quase "mudando de canal". Chega ser chato, ou tedioso.
    Mas o livro é incrível, tem quotes maravilhosos e ver Hassan dizendo "por você faria isso mil vezes" me faz ver a pureza das crianças.
    Acho que discordo quando diz que Amir foge para esquecer, esquecer foi uma consequência por ter fugido junto com seu pai.
    O livro é lindo, maravilhoso, estupendo ! E chorei horrores em meio a leitura !
    Sempre recomendo aos amigos o livro, e não filme, pois o filme não tem toda a essência de emoção.
    Bjs, Rapha

    caixinhaderabiscos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Meu Deus, eu amo esse livro |o/ É o tipo de história que quando você lê e termina, fica aquela vontade de ler uma continuação, e você fica imaginando o que acontece com Amir e com os outros personagens. Todas as lágrimas foram poucas para esse livro. Uma história que não dá pra esquecer...

    ResponderExcluir

Sua opinião é de extrema importância.
Sinta-se a vontade para deixar sua sugestão, crítica, dúvida, opinião, etc.
Mas lembre-se, seja educado com seus comentários e dispense palavras de baixo calão, pornografias e qualquer outro tipo de preconceito.
Deixe o link do seu blog ou qualquer outro tipo de contato para que eu possa retribuir sua visita.

Obrigada pela visita, volte sempre que puder.
Beijos!

Fonte: http://princesa-descolada-myla.blogspot.com/2013/03/paginacao-numerada.html#ixzz2j39CpByO