Carnaval de Leitor.


Texto retirado do blog da Galera Record, confira o post original clicando no link > galerarecord.blogspot.com

Quase todo dia pego táxi por causa do trabalho. Os caminhos que faço são cada vez mais engarrafados, e, é claro, já peguei todo tipo de motorista. Mas o de hoje rendeu a conversa abaixo. Entro no táxi com uma pasta e falando no celular, aviso a meu namorado que já está tudo ok com nossas reservas, que já confirmei tudo e desligo dizendo que quero que chegue logo sexta-feira. Ao desligar, em um trânsito caótico no Rio de Janeiro, o taxista abaixa o som e puxa conversa:

- Animada para o Carnaval?

Paro de mexer no celular e respondo um sim desanimado. Ele continua:

- Sei como é, na sua idade eu pulava e bebia muito, era solteiro e amava Carnaval, às vezes nem voltava para o trabalho na quarta de cinzas.

Sem ter muito o que dizer, sorrio. Ele continua:

- Você vai viajar, né? Vai para onde?

Respondo educadamente:

- Curitiba!

Ele vira para trás:

- Tá maluca, moça, vai para Curitiba fazer o que? Lá não tem blocos, a Apoteose é aqui, todo mundo querendo vir para cá e você saindo? Se ainda fosse na Bahia... mas Curitiba?

Respiro fundo:

- Pois é, eu amo ficar longe do Carnaval, não gosto de blocos, não bebo, também não sou fã de praia e acho que esse lugar é perfeito para o que eu preciso.

Ele vira de novo:

- Moça, com todo o respeito, mas o que você precisa é de uma boa dose de sol e você será outra pessoa. Nem parece que mora no Rio, branca assim.

Me dou o trabalho de responder:

- Mas eu não curto sol, gosto de sombra, de lugares mais frios, entende?

Ele balança a cabeça:

- Não, claro que não. Você é casada? Seu marido aceita isso? Nunca vi fugir do sol, do bloco, você é evangélica moça? Não bebe, não pula Carnaval...

Antes de responder que não sou evangélica ele continua.

- Logo vi, evangélica, por isso está com toda essa roupa nesse calor de 40 graus e com esse livro imenso, é a Bíblia, né?

O trânsito continua lento e respondo com minha paciência de Sidarta:

- Não, isso não é a Bíblia, isso é um livro, fala de amor, é um romance e sou católica não são somente evangélicos que não bebem.

Ele faz uma curva, e meu celular toca, ao desligar vi que ele prestou atenção na conversa. Basta eu desligar para ele continuar.

- Curitiba... vai ter baile lá? Ou você tem parente, não é? Acertei? É seu marido que tem parente?

Mais uma vez completo:

- Não tem baile, não tem parente, não sou casada. Sou fã de sombra, de cinema, de livros e de shoppings, só isso.

Inconformado e quase chegando ao meu local de destino, ele não desiste:

- Moça, nem uma fantasia? A juventude passa assim ó, quando ver está casada e com filhos vai lembrar dos meus conselhos.

Aí já foi demais, acho que aumento o tom de voz:

- Olha, eu não vou comprar fantasia alguma, quando quero fantasiar sonho com os personagens de meus livros, por isso sempre carrego livros comigo, filmes... minhas fantasias são eles. E meu namorado não gosta de nada disso também, então Curitiba será perfeito para nós dois.

O local chega, pago a corrida, e ele fala antes de eu descer:

- Olha, aqui é pertinho do Saara, você vai encontrar fantasias baratinhas, ou pelo menos um adereço, compra um para você, um para o seu namorado, deixa o livro de lado, homem não gosta de mulher que lê muito não, moça.

Agradeço, dou de costas, e ele ainda grita:

- Bom Carnaval para você.

O meu vai ter tudo que amo, e o seu?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é de extrema importância.
Sinta-se a vontade para deixar sua sugestão, crítica, dúvida, opinião, etc.
Mas lembre-se, seja educado com seus comentários e dispense palavras de baixo calão, pornografias e qualquer outro tipo de preconceito.
Deixe o link do seu blog ou qualquer outro tipo de contato para que eu possa retribuir sua visita.

Obrigada pela visita, volte sempre que puder.
Beijos!

Fonte: http://princesa-descolada-myla.blogspot.com/2013/03/paginacao-numerada.html#ixzz2j39CpByO