Resenha: Nosferatu - Joe Hill




  • Editora: Arqueiro
  • Páginas: 624
  • Nota: 
  • SKOOB

Victoria McQueen tem um misterioso dom: por meio de uma ponte no bosque perto de sua casa, ela consegue chegar de bicicleta a qualquer lugar no mundo e encontrar coisas perdidas. Vic mantém segredo sobre essa sua estranha capacidade, pois sabe que ninguém acreditaria. Ela própria não entende muito bem.

Charles Talent Manx também tem um dom especial. Seu Rolls-Royce lhe permite levar crianças para passear por vias ocultas que conduzem a um tenebroso parque de diversões: a Terra do Natal. A viagem pela autoestrada da perversa imaginação de Charlie transforma seus preciosos passageiros, deixando-os tão aterrorizantes quanto seu aparente benfeitor.

E chega então o dia em que Vic sai atrás de encrenca... e acaba encontrando Charlie.

Mas isso faz muito tempo e Vic, a única criança que já conseguiu escapar, agora é uma adulta que tenta desesperadamente esquecer o que passou. Porém, Charlie Manx só vai descansar quando tiver conseguido se vingar. E ele está atrás de algo muito especial para Vic.

Perturbador, fascinante e repleto de reviravoltas carregadas de emoção, a obra-prima fantasmagórica e cruelmente brincalhona de Hill é uma viagem alucinante ao mundo do terror.

Conheço muita gente que detestou esse livro, e aposto que você que está ai lendo e também não gostou deve estar se perguntando o que eu tenho na cabeça por ter dado CINCO estrelas ao livro. Bom, vamos aos fatos...

Primeiro: Eu amo a narrativa do Joe Hill, o conheci a bastante tempo atrás e simplesmente me viciei, não consigo ler um livro dele e não gostar. Existem aqueles que mais me agradam e os que pior agradam, mas nenhum deles chegou a se tornar “ruim pra mim”.

Levando em consideração que eu adoro sua narrativa, temos também o fato do terror/suspense sempre presente nos seus livros, e, diga-se de passagem, é um dos meus gêneros favoritos.

Não vamos nem mencionar o fato dele ser filho do meu grande amor, minha eterna paixão.

Ok, vamos agora falar da história, quem sabe assim vocês comecem a entender um pouco do meu amor pelo livro – e quiçá o meu amor pelo autor.

O que me deixou super feliz ao ler o livro, foram as citações e referencias contidas, Charles cita Craddock McDermott de "A Estrada da Noite" – quem já leu o livro vai adorar ler essa parte – fala também de Pennywise, de “It a coisa” – Ok, é uma referencia ao livro do seu pai, Stephen King, mas de qualquer forma é magnifico ler essas coisas, é como se diversos livros se conectassem, o que torna tudo muito mais real. Além dessas temos também referencias de a Chave de Lovecraft de "Locke and Key" entre outras diversas. Pense em um livro cheio de pequenas coisas que se unem a outras coisas maiores (oi?) É aquele tipo de livro que a mínima palavra pode significar tudo.

O livro conta a história de Victoria McQueen, que ainda criança descobriu que possuía um dom muito especial e bastante misterioso. Com o tal dom, Victoria consegue adentrar a lugares reais e imaginários (?). este dom pode ser encarado como algo bom, imagine você poder transitar entre aquilo que é real e aquilo que é imaginário, um pouco confuso talvez. 

Temos outro incrível personagem que também pode transitar entre duas realidades paralelas: Charles Manx, dono de um Rolls Royce Wraith 1938 (com a placa NOS4A2 - "Nosferatu" Inclusive isso é mais uma das referencias subliminares que o livro contém). Charles é um pouco mais peculiar, e sua grande obsessão pelo Natal, me deixou um pouco assustada. Charles criou um mundo paralelo onde é SEMPRE natal. Acontece que este mundo natalino tem um lado sombrio e extremo. O mundo que Charles criou evoluiu uma espécie de força maligna que sequestra crianças para sua “terra do nunca”, onde o natal nunca acaba. Todo bem tem o seu lado mal.

Existem diversas passagens extremamente medonhas, principalmente envolvendo as tais crianças.

Chegou aquele momento que você está se perguntando qual a ligação – além de ambos terem o mesmo “dom – entre Charles e Victoria? Bom, após Victoria entrar na fase adulta, eis que nosso querido e antigo amigo Charles resolve fazer uma visita, um tanto quanto inesperada. Charles volta em busca do filho de Victoria, como forma de vingança, pois a mesma foi a única criança que conseguiu sobreviver ao mundo assustadoramente “FELIZ” de Charles. Como explicar que seu filho foi raptado por um homem e levado a uma outra dimensão? Ai que encontra-se o ponto alvo do livro. O que Victoria vai fazer para resgatar seu filho, se é... Ainda há esperanças?

Fiquei completamente apaixonada pelos personagens, cada um com sua peculiaridade, encantador. Posso dizer que no quesito “enredo, narrativa e etc” o Joe se superou EXTREMAMENTE se formos comparar com seus outros livros, pode-se dizer que o filho do mestre está começando a acertar e demonstrar que a literatura de qualidade está no sangue. 

Voltei.

Oi gente, estou passando para avisar que eu ainda estou viva, que tive alguns problemas com saúde, internet, mudança, tempo... E acabei deixando aqui um pouco de lado. Mas aos poucos as coisas vão normalizando. Em breve trago novidades interessantes pra vocês. Quem sabe um sorteiio? hahah'
Fonte: http://princesa-descolada-myla.blogspot.com/2013/03/paginacao-numerada.html#ixzz2j39CpByO